Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Abel Cavalcante Lima Filho

Outra

Engenharia Mecatrônica
  • sistema embarcado sem fio inteligente para diagnóstico de falhas em veículos automotivos pela análise sonora
  • O presente projeto de pesquisa em inovação tecnológica tem como objetivo principal o desenvolvimento de hardware e software embarcado para diagnóstico de falhas em veículos automotivos por meio da vibração sonora. Nessa abordagem, dispositivos finais são estrategicamente posicionados em determinados pontos de um veículo automotivo. Esses elementos são responsáveis por captar os sinais de som, realizar um pré-processamento e transmitir as informações obtidas ao longo de uma rede de sensores sem fio (RSSF), baseada no padrão IEEE 802.15.4. Uma unidade de diagnóstico (nó coordenador da RSSF) recebe os sinais pré-processados dos dispositivos finais e realiza o diagnóstico de falhas no veículo baseado nos diferentes sinais de som adquiridos. O pré-processamento dos dados é feito utilizando detalhes wavelets e transformada rápida de Fourier (FFT). O diagnóstico final é realizado por meio de uma rede neural artificial (RNA) utilizando como dados de entrada a energia relativa dos detalhes wavelets e dados obtidos no domínio da frequência usando FFT. Uma estrutura laboratorial será montada para ensaios, treinamento da RNA e validação do método e do sistema proposto. O projeto possui potencial de transferência tecnológica como uma estratégia de monitoramento veicular inovadora e eficaz. Pretende-se ao final do trabalho obter um sistema que possibilite um aumento na segurança operacional de veículos, diminuindo ocorrências de quebras e acidentes nas estradas.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Abelardo Silva Júnior

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • perfil gênico de bovinos experimentalmente desafiados com herpesvírus bovino 1 (bohv-1) nas fases de infecção produtiva e latente
  • A importância das consequências geradas pelo herpesvírus bovino 1 (BoHV-1) nas pecuárias leiteira e de corte são incontestáveis principalmente no quesito reprodução. Juntamente a outros agentes causadores de enfermidades reprodutivas, o BoHV-1 promove gastos excessivos da ordem de R$ 1500/animal/ano. Isso, ao ser transposto ao crescente rebanho bovino brasileiro, permite inferir um proporcional prejuízo. A ineficácia no completo controle do agente viral em foco é devida, em grande parte, à sua capacidade em promover um tipo de infecção denominada latente, uma característica que permitiu o sucesso evolutivo dos herpesvírus quanto à sua adaptação ao hospedeiro. Nessa fase da infecção, o vírus permanece em estado não produtivo, não produzindo antígenos que seriam reconhecidos pelo sistema imunológico do hospedeiro. Portanto, o vírus não é eliminado pelo hospedeiro, pois dribla as defesas imunológicas do bovino, podendo se reativar à infecção produtiva principalmente em situações relacionadas ao aumento dos níveis de hormônios vinculados ao estresse. Essa capacidade viral de estabelecer infecção crônica é o que vem impedindo o desenvolvimento de métodos eficazes de controle da infecção, já que a sua dinâmica não é algo completamente esclarecido à comunidade científica. Dessa forma, um estudo profundo e detalhado dessa questão deve ser realizado, sendo esse o objetivo que a presente proposta pretende alcançar: traçar o perfil gênico das infecções produtiva e latente em bovinos experimentalmente desafiados com uma cepa virulenta de BoHV-1. Esse ensaio será realizado com o auxílio de metodologia de sequenciamento de nova geração, ferramenta com capacidade de apresentar quantidade de informações a perder de vista no que se refere às análises de expressão gênica. Assim, será possível identificar genes envolvidos diretamente com a infecção, servindo como base para a continuação da pesquisa em busca do controle do agente viral considerando o nível molecular.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • Wed Jan 21 00:00:00 BRST 2015-Wed Jan 31 00:00:00 BRST 2018
Foto de perfil

Abelmon da Silva Gesteira

Ciências Biológicas

Genética
  • estudos de alterações epigenéticas induzidas pelo déficit hídrico em citros
  • O cultivo dos citros no Brasil se dá predominantemente sem irrigação e por isso é desejável que se usem combinações copa/porta-enxerto que mostrem, entre outras características de interesse agronômico, a tolerância à seca, devido à ocorrência de déficits hídricos temporários em várias regiões citrícolas. As plantas cítricas apresentam uma série de adaptações morfológicas e fisiológicas à deficiência hídrica, entre as quais se citam a conformação de copa e a morfologia foliar. Estes atributos são influenciados pela combinação copa/porta-enxerto, sendo que a tolerância à seca é também uma das características para seleção e melhoramento de porta-enxertos, existindo grande variação desta resposta, determinada especialmente pela condutividade hidráulica do sistema radicular. Recentemente submetemos dois porta-enxertos de citros Citrus limonia Osb (Limoeiro ‘Cravo Santa Cruz’) (RL) e Citrus sunki (Tangerineira ‘Sunki Maravilha’) (SM), bem como suas combinações invertidas (SM/RL e RL/SM), e estes sob duas copas comerciais Citrus sinensis (L.) Osb (Laranjeira ‘Valencia’)(VO) e Citrus latifolia Tanaka (Lima ácida ‘Tahiti’) (ALT), ao déficit hídrico por redução gradual da água no solo. Para verificar as diferentes respostas destas combinações, foram avaliadas as alterações nos potenciais hídrico e osmótico da folha, potencial matricial do solo, bem como nas trocas gasosas e perfis de hormônios (ABA, AIA e SA) e de açucares (rafinose, trealose, galactose, frutose, glicose e sacarose), para cada combinação em três situações diferentes (controle, severo e reidratado 48h). Os resultados encontrados demonstram que todas as combinações analisadas sofreram alterações nas respostas fisiológicas nas situações avaliadas, além de evidenciar que o RL adota a estratégia de evitar a desidratação, mantendo o crescimento, ao passo que a SM adota a tática de tolerar a desidratação, focando na sobrevivência da planta. A SM apresentou altos níveis em folhas e raízes de hormônios – que induzem a tolerância ao déficit hídrico como ABA e SA – e açúcares – como trealose e rafinose, que são relatadas como importantes sequestradores de espécies reativas de oxigênio (ROS) – quando comparada ao RL. Vale ainda ressaltar que os resultados demonstraram que SM tende a induzir as copas enxertadas – RL, VO e ALT – a adotar a estratégia de tolerar o déficit hídrico, assim como ela em situação pé franco. Já o RL, quando sob a copa de ALT – que possui crescimento vigoroso – produziu muito mais ABA quando comparado a este em condição pé franco, mostrando assim a influência que a copa exerce no porta-enxerto, por ter exigido do RL a produção de mais ABA para controlar a transpiração na parte aérea (ALT). O RL é um porta-enxerto com grande aceitação pelos citricultores brasileiros, enquanto que a Sunki e suas derivações podem ser uma alternativa de diversificação genética. Entretanto, em uma estiagem prolongada, como as previstas para os próximos anos, a SM, devido à estratégia de sobrevivência adotada, tende a superar este período de forma mais eficiente que o RL, pois este último entrará primeiro em murcha irreversível (Santana-Vieira et al, submetido). Ainda em trabalhos desenvolvidos por nosso grupo, Neves et al. (2013) e Oliveira et al (2015) com os porta-enxertos RL e SM em condições de vaso - onde foram avaliados alguns parâmetros fisiológico, perfil de ABA e expressão gênica desta via, bem como o perfil protéico destes materiais sob déficit hídrico - foi demonstrado que eles apresentam padrão de comportamento diferentes em resposta ao estresse por seca. A SM apresentou uma maior quantidade de ABA e um maior número de proteínas diferentemente expressas quando comparada ao RL nestas condições. Além disso, proteínas encontradas exclusivamente na SM foram caracterizadas por serem responsáveis pelo reparo e processamento dos ácidos nucléicos (Oliveira et al, 2015), enquanto que o RL apresentou proteínas up-reguladas que são responsáveis pelo transporte, metabolismo de proteínas, resposta ao estresse e proteólises (Santana-Vieira et al, submetido). Diante do exposto, e sabendo também que as plantas desenvolvem mecanismos de memória para melhor se adaptarem as condições adversas, o presente trabalho tem como objetivo estudar alterações epigenéticas de dois porta-enxertos, tangerineira ‘Sunki Maravilha’ e o limoeiro ‘Cravo’ em combinação com laranjeira ‘Valencia’, induzidas por sucessivos déficits hídricos. Com base no mecanismo SM de assegurar a sobrevivência da planta, conforme mostramos que copas enxertadas (ALT e VO) no referido porta-enxerto apresentaram altos níveis nas folhas de hormônios – que induzem a tolerância ao déficit hídrico como ABA e SA – e açúcares – como trealose e rafinose, que são relatadas como importantes sequestradores de ROS – quando comparada ao RL, espera-se que SM induza a formação de mais marcas epigenéticas em copas nele enxertadas que o porta-enxerto RL. Cabe destacar que a presente proposta é inovadora e sem relatos na literatura, além de apresentar potencial para o desenvolvimento de uma técnica de manejo com aplicação direta na cadeia citrícola. Vale ressaltar que, caso seja comprovado que plantas cítricas submetidas a déficits hídricos sucessivos apresentam adaptações que resultam em uma maior tolerância à seca, as plantas matrizes, doadoras das borbulhas para enxertia, poderão ser submetidas a déficits hídricos prévios, visando aumentar o nível de tolerância ao estresse em questão.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - BA - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Acácio Sidinei Almeida Santos

Ciências Humanas

Sociologia
  • migração e saúde: itinerários terapêuticos, práticas e estratégias de cura de imigrantes africanos na cidade de são paulo
  • A situação dos imigrantes internacionais é caracterizada pelo fato de que eles devem se reorientar socialmente e redefinir seu modo de vida no seio da sociedade de acolhida. Esse processo de integração que abre para os imigrantes a via para uma nova vida é também permeado por tensões que levam, nos casos mais extremos, à marginalização. As tensões entre os aspectos sociais, comunitários e econômicos, como encontrados no país de origem e no país de acolhida, podem se exprimir muitas vezes por problemas de saúde. Relacionar saúde e migração é falar da integração dos migrantes no corpo social, das instituições de apoio e do diálogo, mas também das interdições e incompreensões de práticas sociais, e das transformações de significados do corpo, da religião, das tradições terapêuticas decorrentes deste encontro. Apesar do crescimento exponencial dos estudos sobre imigração e emigração nos últimos anos, o tema da saúde e da doença em contexto migratório constitui um domínio de investigação ainda incipiente no Brasil. O que significa dizer que ainda não recebeu a merecida atenção. Este projeto tem como objetivo dar continuidade às pesquisas iniciadas no pós-doutorado, fazer uma caracterização sociodemográfica, identificar os principais problemas de saúde, os itinerários dos imigrantes nas situações de doença e os recursos que a população imigrante de origem africana (demandantes de refúgio e refugiados) que reside no Brasil utiliza para resolver seus problemas de saúde.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Acelino Couto Alfenas

Ciências Agrárias

Agronomia
  • estudos da interação de erwinia psidii x eucalyptus spp.
  • Nos últimos anos, novas doenças têm surgido na cultura do eucalipto, levando à diminuição da produtividade e ocasionando perdas significativas. Dentre essas, merece destaque a murcha e seca de ponteiros, causada pela bactéria Erwinia psidii, descrita no Brasil em 2014. A observação da doença no campo tem sido recorrente. Em determinados locais e épocas do ano, a doença pode incidir em quase 100% das plantas levando à perda da dominância apical e possível redução do crescimento, gerando prejuízos para a cultura. Por se tratar de uma nova doença pouco se conhece sobre os aspectos da interação planta-patógeno, epidemiológicos e de manejo envolvidos neste novo patossistema. Neste projeto propõe-se a obtenção de isolados de E. psidii contendo o gene GFP via transformação genética. As bactérias transformadas serão inoculadas em clones de eucalipto suscetíveis e os processos de colonização e translocação do patógeno no seu hospedeiro analisados por meio de cortes histológicos e observações em microscopia confocal e eletrônica. Este isolado bacteriano transformado, será utilizado também para estudos da formação de biofilme. Além disso, serão alvos de estudos as alterações fisiológicas e metabólicas induzidas na planta pela doença, a temperatura ideal de infecção, a variabilidade da agressividade entre isolados de E. psidii, a gama de hospedeiros da bactéria e a busca por fontes de resistência nas diferentes espécies de Eucalyptus spp.; aspectos considerados fundamentais para embasar possíveis medidas de manejo da doença.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Achilea Candida Lisboa Bittencourt

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo clínico e molecular da dermatite infecciosa associada ao htlv-1 e de sua evolução para mielopatia associada ao htlv- 1/paraparesia espástica tropical e leucemia/linfoma de células t do adulto, na faixa infanto-juvenil
  • O vírus linfotrópico de células T humanas tipo 1 (HTLV-1) é endêmico em algumas regiões do Brasil, com maior prevalência no Estado do Maranhão e no Estado da Bahia. Este vírus está associado ao desenvolvimento de diversas doenças graves, entre elas a leucemia/linfoma das células T do adulto (ATL), a paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao HTLV-1 (HAM/TSP) e a dermatite infecciosa associada ao HTLV-1 (DIH). A ATL é uma forma muito agressiva de células T maduras, CD4+ e CD25+, resistente à quimioterapia e frequentemente fatal, porém há formas pouco agressivas, como a forma smoldering, com melhor prognóstico. Ocorre, predominantemente, na idade adulta e em indivíduos afrodescendentes. A HAM/TSP aparece, geralmente, a partir da quarta década de vida e representa uma forma grave de mielopatia incapacitante com paraparesia espástica progressiva, associada a distúrbios vesicais. A DIH é uma forma grave e recidivante de eczema cutâneo que incide em crianças que adquirem a infecção por via vertical. Ainda que a HAM/TSP seja considerada uma doença do adulto, nosso grupo de estudo já observou que 40% dos casos de DIH, na Bahia, evoluem para HAM/TSP ainda na infância e adolescência. Este achado é muito relevante se se considerar que a frequência de manifestação de HAM/TSP em portadores adultos está estimada em menos de 5%. Nosso grupo também têm observado casos de HAM/TSP infanto-juvenil não associados à DIH e adicionalmente já comprovamos agrupamento familiar na DIH e HAM/TSP infanto-juvenil. Adicionalmente, na Bahia já reportamos casos de ATL precoce diagnosticados em pacientes com DIH. Adicionalmente, já publicamos o achado de células em flor, patognomônicas de ATL em pacientes de DIH na infância e adolescência. Estes dados mostram que a manifestação de DIH poderia favorecer o desenvolvimento precoce de doenças associadas ao HTLV-1 consideradas como da vida adulta. Até o momento, não foram identificados os determinantes que levam ao desenvolvimento da HAM/TSP na infância e na adolescência. Também não existe um tratamento eficaz para esta mielopatia grave e incapacitante ou estratégias terapêuticas que consigam prevenir a manifestação da HAM/TSP em pacientes com DIH. Não são conhecidos os fatores que determinam o desenvolvimento precoce da ATL. Este projeto visa avaliar uma coorte de pacientes com DIH e ou HAM/TSP iniciados na infância e ou adolescência, assim como seus familiares soropositivos assintomáticos, incluídos num total de 35 famílias. Destes indivíduos, já temos banco de dados clínicos, laboratoriais e material biológico crio-preservado coletado em diferentes fases evolutivas dos pacientes durante 10 anos de acompanhamento. Os estudos aqui propostos têm abordagem clínica, laboratorial e molecular. Serão estudados os aspectos clínicos e evolutivos das manifestações da DIH e da HAM/TSP e serão avaliadas possíveis manifestações neurológicas nos irmãos assintomáticos desses pacientes. Serão também avaliados parâmetros hematológicos e parasitológicos no sentido de estudar uma possível evolução para ATL tendo-se em conta principalmente a presença de linfocitose e de células atípicas em sangue periférico, e a clonalidade de linfocitos. Será também quantificada a carga proviral (CPV), investigada a clonalidade das células infectadas e a expressão gênica viral em diferentes fases evolutivas desses portadores do HTLV-1 assim como possíveis alterações destes parâmetros antes e depois do surgimento de HAM/TSP e antes e depois do desaparecimento das lesões de pele da DIH. Adicionalmente, pretendemos mostrar se existe predisposição genética relacionada com os alelos do HLA e os genótipos do gene KIR. Nosso intuito é determinar se há variações de carga proviral ou clonalidade de células infectadas nas diferentes fases evolutivas dessas doenças e se existem marcadores hematológicos, genéticos ou virais para a manifestação e/ou evolução das condições clinicas associadas ao HTLV-1. Este projeto será desenvolvido em colaboração com o Laboratório de Patologia Experimental (LAPEX) do Centro de Pesquisa Gonçalo Muniz – FIOCRUZ –Bahia e com a Clínica Dermatológica da UFBA. Espera-se fazer duas publicações científicas em revistas indexadas e internacionais e várias apresentações em congressos de Dermatologia, de Hematologia e de Neurologia. Neste projeto, serão realizadas técnicas moleculares para detecção da integração viral (Southern blot, PCR invertido e PCR invertido e longo) implantadas apenas no LAPEX, na Bahia, em relação à América do Sul.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Acrisio Lins de Aguiar

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo computacional das propriedades mecânicas, eletrônicas e vibracionais de sistemas híbridos baseados em nanotubos de carbono submetidos a condições extremas de pressão.
  • Nanotubos de carbono (CNTs) exibem modificações estruturais profundas quando submetidos a condições extremas de pressão. No caso de DWNTs, o nanotubo externo pode ser modificado de diferente formas através da interação com dopantes, meio compressor e do próprio mecanismo de aplicação de pressão e temperatura, enquanto o nanotubo interno pode ter suas características fundamentais preservadas. O objetivo geral deste projeto é investigar, por meio de cálculos teóricos, as propriedades mecânicas e vibracionais de um conjunto de arranjos de nanotubos de carbono (SWNT/DWNT/TWNTs) isolados ou em feixe (\textit{bundle}) com a possibilidade de inclusão de átomos e/ou pequenas moléculas na região de intercalação ou confinados no interior dos nanotubos. Os cálculos da densidade de fônons e de otimização de estrutura para SWNTs e DWNTs em feixes submetidos a pressão serão realizados usando um código de otimização de estrutura e dinâmica molecular baseado nos potenciais de Tersoff-Brenner. Para os cálculos envolvendo átomos e moléculas (Br2, Br3,I2, I3,CnH2, etc) intercalada ou confinada em feixes de DWNTs será usado o código SIESTA. De maneira geral, esperamos que os nossos resultados possam constituir uma importante contribuição no sentido de embasar a potencialidade da aplicação destas nanoestruturas de carbono no desenvolvimento de materiais avançados.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Acylena Coelho Costa

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • onde está a matemática? a expomat responde
  • A Matemática é tem sido vista como uma disciplina pronta e acabada, sem espaço para a criatividade, o que gera uma grande aversão nos alunos, pois os mesmos acreditam que é algo difícil, distante de sua realidade e, muitas vezes, sem utilidades. No entanto, por outro lado, existe um grupo enorme de pessoas que possuem verdadeiro fascínio e admiração pela Matemática, mas tem em comum o fato de serem frequentemente criticadas em decorrência da visão apenas parcial do que é a Matemática e suas relações no cotidiano. Neste contexto, o presente projeto proporcionará ações de modo que os visitantes possam perceber por meio de exposições e apresentações a componente lúdica e recreativa associada à Matemática, como a utilização de jogos, uso de materiais manipuláveis e virtuais, que estimularam e motivaram os alunos para a aprendizagem da Matemática, bem como contribuir para o desenvolvimento de competências cognitivas, afetivas e sociais. Uma exposição é uma somatória de múltiplos projetos de diferentes naturezas, porém interdependentes e complementares. O trabalho qualificado de cada profissional propiciará um clima harmonioso de interação com resultados finais produtivos. A Universidade do Estado do Pará (UEPA), em parceria com o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), adotou como objetivo difundir a Matemática como parte do conhecimento científico por meio da promoção de exposições, tendo em vista o reconhecimento por parte dos visitantes de que a Matemática está em tudo, bem como, despertar o interesse por essa área do conhecimento. UEPA e o IFPA por meio do projeto “Onde está a Matemática? A EXPOMAT responde” desencadearão ações nas seguintes frentes: a) Mostra de materiais manipuláveis e recreativos; b) Mostra comentada de vídeos educativos; c) Ciclo de Palestras; d) Exposição sobre História da Matemática; e) Atividades manipuláveis com Mosaicos; f) Mostra virtual de materiais lúdicos e recreativos; g) Oficinas; h) Jornada científica e j) Apresentação de show com Matemágico. Tendo em vista os diversos campi nos municípios em que as IES atuam, decidiu-se atender prioritariamente o município de Belém, onde possuem sede, e sua região metropolitana, além dos municípios de Vigia de Nazaré, São Miguel do Guamá e Ananindeua. As ações ocorrerão em dias diferenciados, com algumas ações concomitantes, conforme a cronograma proposto, será iniciado em São Miguel do Guamá e finalizado em Belém, no período de 23 a 27 de outubro. É importante ressaltar que por meio das exposições torna-se possível apresentar ao público geral a Matemática mais parecida com o que ela é para os matemáticos e não como ela se cristalizou nos bancos escolares. A UEPA e o IFPA constituíram equipes de apoio, preferencialmente com os alunos do Programa de Mestrado em Ensino de Matemática, de Belém, e alunos do curso de licenciatura em Matemática dos municípios onde está previsto ocorrer a SNCT 2017. Após a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, serão escolhidas ações para serem replicadas nas escolas de Ensino Fundamental e Médio da rede pública, além disso, as atividades pertinentes serão apresentadas no XII Encontro Paraense de Educação Matemática (XII EPAEM) e no V Simpósio Internacional de Pesquisas em Educação Matemática (V SIPEMAT), previstos para setembro de 2017 e julho de 2018 em Belém do Pará, respectivamente. Neste sentido, propomos que este projeto seja desenvolvido no período de setembro/2017 a outubro/2018.
  • Universidade do Estado do Pará - PA - Brasil
  • Thu Aug 10 00:00:00 BRT 2017-Wed Feb 28 00:00:00 BRT 2018
Foto de perfil

Adailson Feitoza de Jesus Santos

Ciências Agrárias

Agronomia
  • rizobactérias nativas do semiárido como estratégia para mitigação das mudanças climáticas - seca.
  • Os eventos de seca se tornaram mais frequentes a partir do século 20. De acordo com dados divulgados pela Organização das Nações Unidas, o nordeste brasileiro enfrentou em 2013 a maior seca dos últimos 50 anos, com mais de 1.400 municípios afetados. Sendo a previsão atual de que até 2030 quase metade da população mundial estará vivendo em áreas com grande escassez de água. E ainda, de acordo com a mesma organização, a partir de estudos feitos pelo Banco Mundial, a variabilidade das chuvas e a intensidade das secas no Nordeste continuarão aumentando até 2050, com graves efeitos para a população. Esses dados têm indicado que a falta de água gera mais vítimas do que a combinação de terremos e furações, uma vez que mais de 2 bilhões de pessoas sofreram com as secas no último século e 11 milhões morreram em função delas. A Estação Ecológica Raso da Catarina (ESEC Raso da Catarina) está sobre influência do clima semiárido e apresenta uma vegetação típica de Caatinga. Embora a maioria das culturas vegetais não consigam tolerar períodos de secas prolongadas, a vegetação nativa do bioma Caatinga apresenta plantas que podem sobreviver por todo um período de seca. A região nordeste, em especial a Bahia, apresenta uma cultura vegetal (sisal Agave sisalana) que se adaptou muito bem às condições semiáridas, e tem revelado grande importância sócio-econômica para a região, pois tem sido um dos fatores de manutenção de várias famílias na região sisaleira. Associado com estas plantas existe uma comunidade microbiana (microbioma), predominantemente composta por fungos e bactérias e que estão distribuídos em todos os compartimentos vegetais, tanto na parte externa, quanto nas partes internas, além de uma grande diversidade destes no sistema da rizosfera. O microbioma vegetal é capaz de influenciar a fisiologia vegetal, uma vez que produz uma série de compostos que podem ser benéficos para as plantas de forma direta ou indireta, levando muitas vezes a processos de promoção de crescimento vegetal e tolerância a estresses abióticos. O objetivo deste projeto é isolar bactérias rizosféricas associadas a plantas nativas da Caatinga (Cactáceas) presentes na ESEC-Raso da Catarina bem como presentes na rizosfera de plantas de sisal. As bactérias serão selecionadas quanto a capacidade de tolerar estresse abiótico (condições de ambientes áridos e/ou semiáridos) como déficit hídrico, tolerância a temperaturas elevadas e diferentes concentrações de salinidade e pH. Também serão selecionada para características que promovam crescimento vegetal in vitro, como: produção de ACC-desaminase, produção de ácido indol acético, produção de sideróforos, solubilização de fosfato inorgânico, redução de acetileno e produção de exopolissacarídeos. Os isolados mais promissores serão testados para promoção de crescimento vegetal bem como indução de tolerância a seca, em plantas de milho (cultura de grande importância para região). As plantas sob déficit hídrico e inoculadas com os isolados promissores serão avaliadas através de parâmetros de promoção de crescimento e análises fisiológicas. Os isolados que se mostrarem positivos nestas análises serão testados em condições de campo e passaram por processo de formulação, objetivando o desenvolvimento de um inoculante para a cultura.
  • Universidade do Estado da Bahia - BA - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Adair de Aguiar Neitzel

Ciências Humanas

Educação
  • a mediação em leitura na escola: contribuições do programa pibid na formação de leitores
  • Trata-se de proposta de investigação em rede sobre as dimensões que envolvem o processo de mediação em leitura. O OBJETIVO é analisar o processo de mediação em leitura nas escolas onde o PIBID de Letras atua, identificando como os licenciandos (bolsistas do PIBID) operam a mediação em leitura na Educação Básica. A QUESTÃO PROBLEMA que norteia o estudo é: Como é explorada a mediação em leitura pelos licenciandos de Letras na Educação Básica no desenvolvimento do Programa PIBID? Pretende-se desenvolver um estudo de caráter qualitativo, de natureza exploratória. OS INSTRUMENTOS DE COLETA de dados utilizados serão: registros de campo dos licenciandos disponíveis nas instituições (portfólios), diário de campo para registro das observações in loco, entrevistas com os alunos da educação básica e bolsistas, relatórios institucionais do PIBID de Letras. Para análise dos dados será utilizado o uso do software NVivo 10 for Windows. No âmbito da Educação, o projeto ora apresentado trará CONTRIBUIÇÕES porque ele sinalizará como os futuros professores de Letras estão se preparando para assumir a função de mediadores em leitura, assim como os impactos do PIBID na sua formação. Esta pesquisa está alinhada com os estudos de Arroyo (2008), Petit (2013), Todorov (2010), Barthes (2003; 2007), Neitzel; Carvalho (2014); Martins (2014); Neitzel, Bridon; Weiss (2016), Lajolo (2005- 2010), entre outros.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Adair Roberto Aguiar

Engenharias

Engenharia Civil
  • comportamento singular de sólidos no contexto de teorias local e não-local
  • A teoria clássica de elasticidade linear prediz fenômenos espúrios, tais como a auto-intersecção da matéria, na vizinhança de pontos interiores de sólidos anisotrópicos, cantos e vértices de trincas. A auto-intersecção, por sua vez, está associada à violação da condição cinemática $J>0$, em que $J$ é o determinante do gradiente de deformação, em uma região próxima destes pontos. Tipicamente, o surgimento deste fenômeno espúrio está relacionado a alguma singularidade no campo de deformação. Uma maneira de impor $J>0$ combina a teoria clássica de elasticidade linear com a imposição desta restrição por meio de uma técnica de multiplicadores de Lagrange. O problema de minimização com restrição associado é altamente não-linear, podendo admitir mais de um minimizador e, em geral, requer uma solução numérica. Esta teoria de minimização com restrição juntamente com uma formulação de penalidade têm sido utilizados na investigação teórico-numérica de problemas com soluções radialmente simétricas em relação a um ponto interior do sólido. Neste projeto investigaremos a existência de soluções que não sejam radialmente simétricas. Estas soluções são diferenciáveis em quase todos os pontos do sólido e os problemas correspondentes são formulados no contexto de uma teoria local clássica, a qual pode ser puramente elástica ou viscoelástica. Recentemente, teorias baseadas em interações entre pontos materiais de um corpo foram propostas para modelar o comportamento de sólidos na vizinhança de singularidades, tais como vértices de trincas. Estas teorias não utilizam conceitos clássicos de deformação e de tensão, podendo, portanto, modelar campos de deslocamento descontínuos. Este projeto possibilitará dar continuidade às investigações de problemas singulares integrando as teorias locais clássicas da mecânica dos sólidos com teorias não-locais, tais como a teoria peridinâmica. Os resultados obtidos desta investigação serão comparados com resultados obtidos de investigações anteriores e com resultados disponíveis na literatura.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • Mon Feb 02 00:00:00 BRST 2015-Wed Feb 28 00:00:00 BRT 2018
Foto de perfil

Adalberto Corrêa Café Filho

Ciências Agrárias

Agronomia
  • prospecção de resistência a fungicidas em populações de magnaporthe oryzae associados ao arroz no brasil
  • Dentre os fatores limitantes à produtividade do arroz no Brasil, as doenças contribuem significativamente para a redução do rendimento e da qualidade do produto. A brusone, causada por Magnaporthe oryzae (anamorfo = Pyricularia oryzae), é a principal doença da cultura e para o seu manejo é preconizado o uso de táticas múltiplas. No entanto, atualmente, o uso de fungicidas é o principal método de controle utilizado, visto que as cultivares melhoradas para resistência à doença têm reduzido período de vida últil dada a alta variabilidade genética e adaptabilidade do patógeno. Nesse sentido, o monitoramento de populações do patógeno quanto à mudança de padrões de virulência, resistência a fungicidas e adaptabilidade, se faz necessário para orientar a tomada de decisão no manejo da doença. Mudanças nos padrões de virulência e sensibilidade a fungicidas ao longo dos anos são esperados em função de pressões de seleção exercida pelo amplo uso de determinados fungicidas, em sua maioria com o mecanismo de ação semelhante, bem como as condições ambientais que predispõem à ocorrência de epidemias, o que contribui na geração de variabilidade. Os estudos nessa área tem se baseado na mensuração da DE50, onde o desenvolvimento dos isolados é testado na presença de fungicidas em diferentes dosagens. Alternativamente, o uso de técnicas moleculares tem levado a identificação de mutações com base em amplificação de regiões genômicas. No mundo, estudos utilizando a metodologia clássica, combinados ou não com análises moleculares, tem evidenciado alto índice de resistência entre isolados de M. oryzae. Por outro lado, no Brasil, não existem estudos de monitoramento de resistência a fungicidas de populações deste importante patógeno do arroz. Apenas um estudo foi conduzido no Brasil com M. oryzae, porém com isolados associados ao trigo e outras gramíneas, onde foram identificados mais de 90% de resistência dos isolados amostrados. Desta forma, a proposta tem por objetivo caracterizar populações de Magnaporthe oryzae das principais regiões produtoras do Brasil quanto à sensibilidade aos principais fungicidas utilizados, identificar possíveis mutações relacionadas a resistência a estrobilurinas, e, por fim, detectar e mensurar através de parâmetros epidemiológicos se há custo adaptativo em populações resistentes. Uma extensa coleção de isolados será submetida a ensaios de sensibilidade in vitro (crescimento micelial, germinação de esporos e DE50). O DNA de todos isolados será extraído e serão procedidas reações de PCR com digestão enzimática para detecção das mutações, conforme literatura. Ensaios de parâmetros epidemiológicos visando quantificar o ¨fitness¨ dessas populações serão conduzidos in planta, em condições controladas. Por fim, o seqüenciamento da região do cit b de uma sub-amostra representativa da coleção de isolados será realizado. Em sua estratégia de ação o projeto será coordenado pelo Laboratório de Epidemiologia Botânica da Universidade de Brasília (UnB), mas com colaboração expressiva da equipe de Fitopatologia da Embrapa Arroz e Feijão, especialmente na execução e treinamento nas análises moleculares pelos alunos de pós-graduação envolvidos. O projeto conta com a parceria do Instituto Rio Grandense do Arroz (IRGA), a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (EPAGRI), da Embrapa Trigo e Clima Temperado e de outras Universidades: UFRGS, Unesp-Ilha Solteira e UFT. Nas instalações da Embrapa Arroz e Feijão serão conduzidos os ensaios em casa de vegetação e análises moleculares. As instituições do IRGA, EPAGRI e Embrapa contribuirão com acesso a isolados de áreas comerciais, análise de dados e discussão de resultados. Espera-se que se possa conhecer o padrão de sensibilidade à fungicidas em populações brasileiras do patógeno, validando técnicas para o monitoramento da resistência fungicida, subsidiando assim com informações úteis para o manejo sustentável da brusone do arroz tanto no controle químico quanto para o melhoramento genético.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Adalberto Fazzio

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • big data na física da matéria condensada: construção de descritores para propriedades de materiais
  • A modelagem computacional de materiais teve um desenvolvimento exponencial nas últimas décadas, se tornando uma das ferramentas mais importantes para o entendimento de sólidos e líquidos. Já é possível simular, através de métodos quânticos, estruturas iguais às que ocorrem no laboratório. Isso se deve principalmente ao desenvolvimento de algoritmos mais eficientes e à construção de computadores cada vez mais potentes. Dado este avanço, vários grupos da comunidade científica internacional estão avançando na direção de simular quantidades cada vez maiores de dados, criando bancos de dados gigantescos de propriedades de materiais nunca antes observados. O desafio passa ser então a construção de modelos físicos, os chamados descritores, para buscar propriedades específicas de interesse nesses bancos de dados. Este projeto visa iniciar o desenvolvimento da área de ‘big data’ relacionado à materiais no Brasil, focando em problemas de interesse para a ciência e o desenvolvimento brasileiro, principalmente relacionados à energia
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Adalberto José dos Santos

Ciências Biológicas

Zoologia
  • sistemática filogenética e taxonomia de aranhas lycosoidea neotropicais
  • A superfamília Lycosoidea é um grupo monofilético, composto atualmente por 10 famílias de aranhas, na sua maioria caçadoras errantes. Embora as relações entre as famílias do grupo sejam ainda controversas, sua composição taxonômica mudou pouco desde sua proposição inicial. A exceção é o recente acúmulo de evidências, morfológicas e moleculares, que apontam para o posicionamento de Thomisidae dentro da superfamília. Apesar dos avanços recentes no conhecimento filogenético sobre o grupo, a taxonomia de seus representantes é ainda deficiente em muitas partes do mundo, principalmente nos neotrópicos. Esta situação é agravada pelo conhecimento ainda incipiente sobre a filogenia interna das famílias de Lycosoidea, o que dificulta a amostragem de táxons para estudos filogenéticos amplos. Neste projeto propomos estudos de sistemática filogenética e taxonomia de três grupos de Lycosoidea particularmente diversificados e amplamente distribuídos na região neotropical. O primeiro subprojeto envolverá uma análise filogenética da família Trechaleidae, um grupo praticamente restrito às Américas. Serão amostrados representantes de todos os gêneros da família, de modo a levantar caracteres morfológicos e sequências de marcadores moleculares. Esses táxons serão analisados de forma combinada, juntamente com uma ampla amostragem de representantes de Lycosoidea como grupo externo. Com isto, esperamos esclarecer o posicionamento filogenético da família, principalmente com relação às famílias Lycosidae e Pisauridae, testar o monofiletismo de Trechaleidae e descrever as relações entre seus gêneros. O segundo subprojeto trará uma análise filogenética, baseada em dados morfológicos e moleculares, da tribo Misumenini (Thomisidae). O principal objetivo desta análise será delimitar apropriadamente o gênero Misumenops, um grupo particularmente abundante de aranhas associadas à vegetação, amplamente diversificado e distribuído na região neotropical. A partir dos resultados das análises filogenéticas, pretendemos delimitar o gênero como um grupo monofilético. Pretendemos também apresentar uma revisão taxonômica completa para as espécies neotropicais do gênero, que atualmente são pobremente conhecidas e, na sua maioria, impossíveis de se identificar com a literatura disponível. Finalmente, o terceiro projeto será uma continuação da tese de doutorado do coordenador, que propôs a primeira hipótese filogenética interna para a família Oxyopidae. A partir das evidências obtidas naquele estudo, serão revisadas as espécies sul-americanas dos gêneros Hamataliwa e Oxyopes. Esses gêneros são polifiléticos em sua delimitação atual, e reúnem respectivamente 16 e 26 espécies sul-americanas. Resultados preliminares obtidos pelo coordenador mostram que muitas das espécies sul-americanas de Oxyopes deveriam ser transferidas para Hamataliwa, e que várias espécies de ambos os gêneros deveriam ser consideradas sinônimas. Além disso, pelo menos 60 espécies não-descritas já foram descobertas, a partir de uma amostragem preliminar do material disponível em coleções científicas. Diante do potencial desses gêneros, que se mostram particularmente diversificados e amplamente distribuídos, este subprojeto trará uma ampla revisão taxonômica para ambos.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Adalberto Koiti Miura

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • nexo pampa: valorização, manejo e restauração da vegetação nativa como estratégia para as seguranças alimentar, hídrica e energética
  • Localizado no extremo Sul do Brasil, o Bioma Pampa ocupa aproximadamente 63% da área do estado do Rio Grande do Sul. O avanço de diferentes culturas agrícolas (e.g. soja, arroz, etc.) representam potenciais perigos para a segurança alimentar, hídrica e energética de agricultores familiares. Além da pressão da grande mudança do uso do solo nos últimos anos, grande parte dos remanescentes de vegetação nativa, florestal ou campestre, estão localizados em unidades de produção agrícola familiar, o que ressalta a importância do modelo de produção familiar na conservação de biodiversidade. Partindo-se da premissa de que só é protegido e valorizado aquilo que se conhece e compreende, a presente proposta tem como principal objetivo construir e articular com técnicos de assistência técnica e extensão rural, professores, estudantes e agricultores familiares, um conjunto de estratégias de pesquisa e transferência de tecnologias, comunicação e intercâmbio de conhecimentos voltados ao manejo e restauração da vegetação nativa como forma de geração de renda, segurança alimentar, hídrica e energétca. O projeto está dividio em três grandes eixos denominados: i) Comunicação Social Para o Nexo Pampa (segurança alimentar, segurança energética, segurança hídrica e geração de renda); ii) Boas Práticas em Manejo e Restauração da Vegetação Nativa, voltadas ao Nexo Pampa; e iii) Capacitação e Educação ambiental para o Nexo Pampa, sendo seu objetivo geral construir e articular com atores sociais da agricultura familiar do Bioma Pampa, em especial do Território Zona Sul do Rio Grande do Sul, um conjunto de estratégias de transferência de tecnologias, comunicação e intercâmbio de conhecimentos voltados à valorização, manejo e restauração da vegetação nativa como forma de se propiciar o nexo das seguranças alimentar, hídrica e energética, além de geração de renda e regularização ambiental das unidades de produção agrícola, em acordo com a Lei de Proteção da Vegetação Nativa (n° 12.651, de maio de 2012). O grande eixo Articulação e Comunicação Social, visa articular, por meio dos recursos de comunicação e de interação, as diferentes atividades do projeto e criar plataformas de interação que permitam dar visibilidade aos mesmos. Além disso, pretende apoiar a articulação interinstitucional e a gestão do projeto, proporcionando um ambiente de diálogo e participação na construção de estratégias conjuntas entre os diferentes parceiros. O grande eixo Boas Práticas em Manejo e Restauração da Vegetação Nativa tem como objetivo gerar medidas capazes de fomentar a produção agrícola, conciliada à proteção dos ecossistemas naturais, garantindo a segurança alimentar, hídrica e energética por meio da criação de uma rede de Unidades de Referência Tecnlógicas (URTs), que visam gerar e/ou aprimorar informações sobre manejo e restauração da vegetação nativa de forma vínculada a produção de alimentos seguros (sistemas agroflorestais, quintais orgânicos), energia de biomassa (tradicional e biogás) e proteção de recursos hídricos (restauração ecológica de APPs hídricas, indicadores de monitoramento, saneamento báscio rural). As URTs servirão de dispositivos de pesquisa de médio e de longo prazo, e ainda, como ferramenta para ações de capacitação e educação ambiental visando oportunizar aos agricultores, técnicos, professores, estudantes e pesquisadores, a troca de experiências e aprendizados. Por último, o grande eixo Capacitação e Educação ambiental terá como público-alvo adultos e, sobretudo, estudantes do meio rural focando em diferentes ações voltadas para a extensão e repartição dos benefícios da segurança alimentar, energética e hídrica e em estratégias de geração de renda e inclusão social. Grande parte da biodiversidade natural é manejada diretamente pelos agricultores familiares nos diferentes agroecossistemas, por meio de suas práticas ecológicas, sociais e econômicas. Nesse contexto, a capacitação e educação ambiental visa articular estratégias de transferência de tecnologias, de comunicação e de intercâmbio de conhecimentos, visando qualificar as experiências dos agricultores familiares e das redes sociotécnicas dirigidas à conservação, manejo sustentável e restauração ecológica da vegetação nativa em nível local e territorial com vistas às seguranças alimentar, energética e hídrica. Todas as atividades serão discutidas, definidas e organizadas no ambiente do Fórum da Agricultura Familiar do Territitório Zona Sul do Rio Grande do Sul.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - RS - Brasil
  • Tue Dec 05 00:00:00 BRST 2017-Thu Dec 31 00:00:00 BRST 2020
Foto de perfil

Adalberto Luis Val

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • inct para adaptações da biota aquática da amazônia - adapta-ii
  • A diversidade biológica existente nos diversos ambientes aquáticos da Amazônia é uma “mina de ouro” biológica. São milhares de espécies de mamíferos, peixes, crustáceos, insetos, plantas, algas, fungos e microrganismos que se espalham desde os grupos ancestrais até os grupos mais especializados. Entre os peixes, por exemplo, encontram-se arraias e acarás vivendo em simpatria; enquanto aquelas pertencem ao grupo dos peixes cartilaginosos que apareceram há cerca de 400 milhões de anos, os acarás constituem um grupo altamente especializado que apareceu mais recentemente. O genoma dessas espécies encerra um conjunto especial de informações que, a despeito de dar origem a uma “marcante unidade bioquímica”, possibilita a geração da diversidade biológica que marca a Amazônia, em particular o ambiente aquático. Estamos muito longe de conhecer a diversidade que podemos ver a olho nu ou sob as lentes de um microscópio, e mais distante ainda, de conhecer o rol de informações que o genoma de cada animal ou planta encerra. Por isso, não raras vezes, temos colocado a Amazônia aos lado de sistemas também desconhecidos como o Mar e o Espaço Sideral. No entanto, o processo de ocupação desordenado que ocorre desde o “descobrimento” do continente americano, em conjunto com a ação do homem moderno no planeta, que divide o ônus do desenvolvimento, como, por exemplo, os efeitos das mudanças climáticas, coloca em risco essa “mina de ouro” biológica aquática, já que os corpos d’água são os receptores finais dessas atividades. Cabe à ciência antecipar-se e produzir informações robustas que permitam a mitigação de efeitos, ou a adaptação aos novos cenários ou, ainda, a compatibilização da expansão urbana, da construção de hidroelétricas, da abertura de estradas, da mineração, do aquecimento global com a conservação ambiental. O conhecimento adquirido na fase inicial do ADAPTA, veiculado em centenas de artigos científicos, dissertações e teses, permite-nos avançar de forma segura e contribuir com informações robustas para a conservação ambiental, para a mitigação dos efeitos das mudanças ambientais e, a partir da habilidade adaptativa de plantas e animais, desenhar processos e buscar novos produtos que permitam ampliar a inclusão social e a geração de renda. Evidentemente, um forte compromisso com a capacitação de pessoal em todos os níveis e a socialização da informação, por meio de unidades demonstrativas, vão permitir que a finalidade social da informação produzida se concretize. Para isso, a presente proposta, baseada no conjunto de informações produzido até aqui, utilizará desde ferramentas convencionais da biologia até tecnologias de última geração, como a genômica, a transcriptômica e a metabolômica, para alcançar os objetivos e será desenvolvida valendo-se das seguintes estratégias: a) experimentos em laboratório e sob condições controladas, com uso de microcosmos que simulam os cenários ambientais previstos pelo IPCC para o ano 2100, já em funcionamento; b) análise comparativa de peixes, plantas e invertebrados vivendo em ambientes naturais com diferentes características ou expostos a ambientes modificados pelo homem; c) avaliação de ação para recuperação de um trecho de igarapé poluído com vistas à produção de um processo a ser aplicado em outros sistemas; d) contribuição para o estabelecimento de uma espécie de peixe tropical amazônica para a aquicultura mundial; e) contribuição para a definição de uma espécie de peixe tropical modelo para experimentação laboratorial; f) capacitação de pessoal em todos os níveis acadêmicos; g) socialização da informação por diversos meios; h) cooperação técnico-científica e intercâmbio de estudantes para assegurar a continuidade dos estudos; e i) interação com INCTs envolvidos com recursos hídricos de outras regiões, incluindo a criação de um programa de doutorado internacional em recursos aquáticos. A presente proposta prevê a colaboração de mais de duas dezenas de laboratórios brasileiros associados, localizados em diferentes regiões do país, liderados por pesquisadores com destaque acadêmico, vários com bolsas de produtividade, bem como de mais de uma dezena de pesquisadores estrangeiros de destaque internacional (vide lista de participantes). A consecução da presente proposta resultará na produção de informações robustas, inéditas, que contribuirão de forma marcante com o avanço científico no que se refere a questões centrais da biologia, da bioquímica, da fisiologia e da ecologia, com o desenvolvimento sustentável da região, ao produzir informações que balizam a tomada de decisões, e com a capacitação de pessoal de alto nível para as instituições locais. Por fim, é importante destacar que a proposta alinha-se com as áreas estratégicas estabelecidas pelo Governo Federal do Brasil e envolve os seguintes temas considerados estratégicos pelo edital: Tecnologias ambientais e mitigação de mudanças climáticas, Biotecnologia e uso sustentável da biodiversidade, Agricultura (aquicultura), e Saúde e fármacos.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • Fri Nov 25 00:00:00 BRST 2016-Wed Nov 30 00:00:00 BRST 2022
Foto de perfil

Adalberto Luis Val

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • utilização de substratos energéticos no cultivo de tambaqui e matrinchã
  • Dado o alto custo da ração para peixes, é de extrema importância otimizar o seu uso em sistemas de cultivo de forma a aproveitar cada nutriente da melhor maneira possível. A porção proteica da ração, por exemplo, não deve ser utilizada pelo peixe para a geração de energia, uma vez que esse nutriente é o único capaz de repor ou incrementar as proteínas corpóreas e favorecer seu crescimento, enquanto que a energia pode ser suprida pelas gorduras ou carboidratos, com custo muito menor. No entanto, a proporção de utilização de cada substrato energético feita pelo peixe depende da proporção da ingestão que ele faz destes ingredientes, e também das condições em que é cultivado, como por exemplo, níveis de oxigênio, velocidade da água, etc. Sendo assim, essa pesquisa busca compreender de que forma o peixe utiliza suas reservas energéticas em diferentes condições, especialmente aquelas comumente encontradas nas pisciculturas do Amazonas, a fim de que a proporção correta de ingredientes na ração seja utilizada, evitando desperdícios especialmente dos componentes com custo mais elevado. A técnica mais utilizada para se determinar o uso que o peixe faz de cada substrato armazenado no corpo é a mensuração composicional, a qual determina a concentração destes substratos em um grupo de peixes antes, e de outro grupo depois de uma dada condição. Neste caso não é possível medir os níveis inicial e final do mesmo peixe, pois se trata de uma técnica extremamente invasiva, necessitando do sacrifício do animal. Além do erro inerente ao desenho experimental, uma vez que se mede a concentração inicial e final em grupos distintos, nesta técnica não se pode determinar a parcela da diminuição da concentração do substrato que é devida à excreção ou interconversão, ao invés de ser de fato utilizada na produção de ATP. Como um método alternativo, Lauff and Wood (1996) desenvolveram a quantificação instantânea, no qual ao invés de se medir amostras de tecidos, como no método anterior, são tomadas as medidas de O2, CO2, amônia e ureia na água e, a partir delas, o consumo total de proteínas, carboidratos e gorduras são calculados. Este método permite verificar o tipo de substrato de fato utilizado na geração de ATP pelo mesmo peixe. Além disso, o menor custo para a medida rotineira e a sua maior rapidez de análise, certamente a tornam muito atrativa, contribuindo sobremaneira para expandir o conhecimento sobre o uso de substratos energéticos pelos peixes e ajudando no desenvolvimento de técnicas de cultivo mais produtivas. Como primeiro passo desta pesquisa pretendemos validar e comparar ambas as técnicas de mensuração de uso de substratos energéticos para o tambaqui e o matrinchã e, em seguida, estabelecer as vias metabólicas preferencialmente utilizadas por estas espécies em três velocidades distintas de água, em peixes oriundos de diferentes condições de cultivo. Também, tomaremos uma série de medidas zootécnicas a fim de correlacionar o uso preferencial de substratos para o desenvolvimento corporal de duas espécies de peixes de importância econômica para o Brasil.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Adalberto Luiz Rosa

Ciências da Saúde

Odontologia
  • terapia celular: avaliação do potencial de injeções locais de células-tronco mesenquimais derivadas de medula óssea e de tecido adiposo na regeneração do tecido ósseo
  • O osso é um tecido com grande capacidade de regeneração, mas em algumas situações a extensão da injúria impede o reparo do tecido. Nesse cenário, a terapia celular utilizando células-tronco tem atraído a atenção de diversos grupos de pesquisa por ser uma alternativa promissora em relação aos tratamentos existentes. No entanto, diversos aspectos moleculares, celulares e teciduais, ainda não abordados na literatura, necessitam ser investigados para tornar essa terapia um tratamento efetivo para a regeneração de defeitos ósseos. Sendo assim, os objetivos desse estudo são: (1) comparar o potencial para regenerar o tecido ósseo de células-tronco mesenquimais (CTMs) derivadas de medula óssea (CTMs-MO) e de tecido adiposo (CTMs-TA) por meio de injeção de células diretamente em defeitos criados em calvárias de ratos e (2) comparar a eficácia para regenerar o tecido ósseo de uma única injeção e de injeções repetidas de CTMs-MO ou CTMs-TA. Para isso, CTMs-MO e CTMs-TA serão obtidas de ratos e expandidas in vitro em meio de crescimento (condição não indutora de diferenciação celular) para que mantenham as características de células-tronco. Para a regeneração do tecido ósseo, as células serão injetadas (injeção única x injeções repetidas) diretamente em defeitos criados em calvárias de ratos. Os defeitos serão produzidos duas semanas antes da primeira injeção para mimetizar defeitos ósseos sem capacidade de auto-regeneração. Inicialmente, o tempo de permanência de CTMs-MO e CTMs-TA nos defeitos ósseos será avaliado por luminescência utilizando a injeção de células transfectadas com luciferase. Dessa forma, será possível determinar o intervalo entre as injeções repetidas. A primeira injeção de células será realizada duas semanas após a criação dos defeitos ósseos e nos animais que receberão injeções repetidas, as injeções adicionais serão aplicadas no intervalo determinado no ensaio de luminescência. Defeitos ósseos tratados com uma única injeção ou injeções repetidas do veículo utilizado (solução salina tamponada com fosfato) sem células serão também avaliados. Seis semanas após a primeira injeção, os animais serão mortos e o tecido ósseo neoformado será avaliado por microtomografia computadorizada, análise histológica, PCR em tempo real e análise do módulo de elasticidade e da dureza. Os dados serão submetidos ao teste de aderência à curva normal para determinar o teste estatístico adequado. Os resultados desse estudo poderão estabelecer novos parâmetros com relação às características de células candidatas ao uso em terapia celular e à injeção de células para regenerar tecido ósseo, visto que, até o momento, não há na literatura estudos avaliando o efeito de injeções repetidas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Adalberto Ramon Vieyra

Ciências Biológicas

Biofísica
  • atpases transportadoras de íons em processos e sistemas biológicos com patologias diferentes
  • As ATPases transportadoras de íons são proteínas integrais de membrana responsáveis por diferentes processos fisiológicos por serem capazes de fornecer a energia necessária por eles requerida quando os fluxos ocorrem contra gradiente de potencial eletroquímico. Participam, por exemplo – direta ou indiretamente – de processos como controle do volume celular, geração do potencial de repouso e sua manutenção, relaxamento muscular, reciclagem de hormônios, balanço do pH intracelular e processamento de nutrientes. O presente projeto de pesquisa apresentado ao CNPq na Chamada Universal No 1/2016 propõe continuar abordando – a partir dos patamares alcançados no período que termina em 31/07/16 – o papel de ATPases transportadoras de íons e investigar mecanismos moleculares de sua regulação em três grandes vertentes de estudo, que apresentam ATPases como elo temático comum: (i) desnutrição e seu impacto tardio na função renal e cardiovascular; (ii) mecanismos de interação e de reparo por células-tronco em tecido renal lesionado. As ATPases objeto de estudo serão: Ca2+-ATPases de membrana plasmática e de retículo sarco/endoplasmático, (Na++K+)ATPase, Na+-ATPase resistente à ouabaína, Cu(I)-ATPases e F0F1-ATPsintase (ATPase mitocondrial). O projeto propõe investigar diferentes kinases, como PKA, PKC, MEK/ERK1/2, fosfo-ERK1/2 e a “salt inducible kinase” e os mecanismos de seu acoplamento regulatório com as ATPases objeto de interesse em cada vertente da proposta. O papel do Ca2+, do Na+ e do Cu+ como segundos mensageiros – e não apenas como espécies iônicas transportadas – será também investigado no contexto das duas vertentes acima. Serão utilizados modelos “in vivo” e “in vitro” que envolvem ratos, cultura de células e frações subcelulares de membranas, mitocôndrias e aparelho de Golgi. Com o desenvolvimento do projeto pretende-se compreender, num novo patamar conceitual integrado, as redes regulatórias de ATPases em situações fisiológicas e patológicas de relevância, para explicar a gênese de lesões e para propor novas abordagens terapêuticas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • Thu Jun 01 00:00:00 BRT 2017-Sun May 31 00:00:00 BRT 2020
Foto de perfil

Adalgisa Reis Mesquita

Outra

Divulgação Científica
  • feira científica de barbacena
  • A discussão sobre a utilização de métodos ou abordagens diferenciadas nos processos de ensino-aprendizagem fazem parte de ambientes educacionais, em seus diversos segmentos, desde a implantação da LDB 9394/96 e dos PCNs. As feiras de ciências apresentam-se como uma alternativa educacional de várias facetas, propiciando a construção do conhecimento através dos diversos meios disponíveis; possibilitando uma aprendizagem interdisciplinar e contextualizada; facilitando o desenvolvimento social dos estudantes enquanto membros de um grupo com um propósito comum; despertando vocações, curiosidades, talentos e interesse tanto nos apresentadores quanto nos visitantes. Dessa forma podemos encarar as feiras de ciências municipais como uma oportunidade para as diversas escolas de educação básica de uma cidade divulgarem conhecimentos e pesquisas científicos adquiridas com a utilização da metodologia de aprendizagem baseada em problemas/projetos. A Feira Cientifica de Barbacena (FECIB) iniciou com projeto aprovado pelo edital nº 51/2010 - Feiras de Ciências e Mostras Científicas - Abrangência Municipal. A primeira edição da FECIB, realizada em maio de 2012, teve um total de 42 projetos da educação básica, apresentados por 210 alunos, 72 orientadores e avaliados por 25 professores. Em 2016, na sua quinta edição, a FECIB contou com 67 projetos apresentados por 466 alunos, 128 orientadores e 62 avaliadores. Desde a primeira edição a feira foi prestigiada pela população, contanto sempre com mais de 2000 visitantes por edição. Alcançou ótima repercussão na mídia regional, sendo abordada em entrevistas na rádio e TV, notícias em jornais e sites da internet. Hoje a FECIB é um evento anual, referência de qualidade no meio educacional e aguardado com ansiedade pela comunidade barbacenense. Motivo que nos leva a propor este projeto de realização da VI FECIB em 2017.
  • Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais - MG - Brasil
  • Thu Dec 01 00:00:00 BRST 2016-Fri Nov 30 00:00:00 BRST 2018