COCHS | HI - História

Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

Critérios de Julgamento - CA-HI

Vigência: 2018 a 2020

 

1. Indicadores de Qualidade da Área:

a) Atividade contínua de pesquisa de reconhecido mérito acadêmico.

b) Publicação contínua e regular de livro e/ou capítulos de livro, bem como de artigos em revistas.

Toda a produção científica será avaliada em termos quantitativos e qualitativos. Em relação aos livro e capítulos de livros, na avaliação qualitativa, quando possível, será utilizado o Qualis Livros/Capes. Além disso, serão levados em conta a qualidade e abrangência das editoras, a existência de conselho editorial e a variedade de editoras nas quais se encontram as publicações. Com relação aos artigos, a avaliação qualitativa levará em conta a qualificação Qualis/Capes, a indexação no Scielo e o registro ISI.

c) Capacidade de formação de recursos humanos nas modalidades de Iniciação Científica (IC) e sobretudo Mestrado (ME) e Doutorado (DO).

d) Inserção em grupos de pesquisa.

A inserção internacional será avaliada, levando-se em conta a integração efetiva do pesquisador/a em grupos de pesquisa, contribuição com universidades estrangeiras de alto nível e publicações.

 

2. Definição de Critérios Gerais:

a) Apresentação de projeto de pesquisa com tema original, fundamentação teórica e metodológica, evidenciando conhecimento do estado da arte e discriminando as etapas de trabalho.

b) Produção científica: publicação de livros e/ou capítulos de livros, e artigos em periódicos com corpo editorial, considerando-se sua qualificação no Qualis/CAPES, a indexação no SCIELO e registro ISI. Será considerada a produção referente aos últimos 10 (dez) anos, como forma de apreensão mais ampla do perfil de produtividade do pesquisador 1 e no caso de pesquisador 2 a produção científica referente aos últimos 5 (cinco) anos. A produção será considerada em termos quantitativos, porém sempre à luz dos critérios qualitativos definidos para cada nível. A excelência acadêmica será analisada em conjunto com a regularidade da produção científica; a atuação institucional; a capacidade da formação de quadros; a inserção e o reconhecimento nacional e internacional.

c) Os indicadores de produção serão quantificados e pontuados conforme as seguintes categorias e respectivos pesos:

  • Publicações:                           50%
  • Orientações:                           20%
  • Gestão científica:                     5%
  • Projeto de pesquisa:               25%

 

3. Definição de Critérios específicos para cada Categoria/Nível:

3.1. Categoria/Nível 2 (PQ-2) - para este nível o pesquisador deverá ter pelo menos 3 (três) anos de titulação e preencher as seguintes condições:

a) Comprovada produção científica: publicação sobretudo de livros ou capítulos de livros e de artigos em periódicos nacionais e/ou internacionais. Para postular a Bolsa de Produtividade, em nível 2, os candidatos devem apresentar a publicação, versando sobre pesquisa original, de pelo menos 1 (um) livro e/ou 3 (três) capítulos de livros e 3 (três) artigos, ou ainda 5 (cinco) artigos em periódicos adequados às exigências mencionadas nos indicadores de qualidade da área;

b) Atuação, preferencialmente, em Programas de Pós-Graduação em instituição de pesquisa de reconhecimento nacional, e inserção em grupo de pesquisa;

c) Orientação de alunos de Iniciação Científica (IC) e de mestrado (ME) e/ou doutorado (DO), dando-se prioridade aos candidatos que tenham orientado dissertações ou teses defendidas.

3.2. Categoria/Nível 1D (PQ-1D) - para este nível o pesquisador deverá ter pelo menos 8 (oito) anos de titulação e preencher as mesmas condições do nível anterior, porém de forma mais consolidada:

a) Demonstração da produtividade do solicitante no período em que esteve no nível anterior, incluindo, sobretudo, a produção de artigos em periódicos nacionais e/ou internacionais, livros e/ou capítulos de livro. É condição para nível PQ - 1D que o pesquisador tenha publicado ao menos 1 livro autoral.

b) Orientação de alunos de Iniciação Científica (IC) e defesas de mestrado (ME) e doutorado (DO), sendo exigidas, neste caso, pelo menos 5 (cinco) defesas de dissertação ou tese sob a orientação principal do candidato à Bolsa.

3.3. Categoria/Nível 1C (PQ-1C) - para este nível o pesquisador deverá ter pelo menos 8 (oito) anos de titulação e preencher as seguintes condições:

a) Atividades de pesquisa desenvolvida em IES ou instituições de pesquisa reconhecidas nacional e/ou internacionalmente.

b) Produção científica que seja referência na área de História: publicação, sobretudo, de livros ou capítulos de livros e de artigos em periódicos nacionais e/ou internacionais.

c) Atuação em Programas de Pós-Graduação e orientações de alunos de IC, ME, DO, sendo exigidas, neste caso, pelo menos 10 (dez) teses ou dissertações defendidas sob a orientação do candidato como pesquisador principal.

3.4. Categoria/Nível 1B (PQ-1B) - para este nível o pesquisador deverá ter pelo menos 8 (oito) anos de titulação e preencher as seguintes condições:

a) Continuidade, regularidade e qualidade da produção científica do pesquisador.

b) Capacidade de liderança no campo da pesquisa e do conhecimento no Brasil.

c) Reconhecimento nacional nas suas áreas de atuação e no seu campo de pesquisa.

d) Efetiva inserção em grupos internacionais, com a comprovação de colaboração permanente com universidades estrangeiras de alto nível e publicações internacionais sistemáticas.

3.5. Categoria/Nível 1A (PQ-1A) - para este nível o pesquisador deverá ter pelo menos 8 (oito) anos de titulação e preencher as mesmas condições do nível anterior, porém de forma mais consolidada, a critério do Comitê.

1. Propostas de caráter multidisciplinar/interdisciplinar

No que diz respeito à formulação de requisitos para que uma proposta de caráter multidisciplinar seja acatada e julgada quanto ao mérito, e o modo como será analisada a produção científica e/ou tecnológica obtida em veículos de outras áreas, o Comitê considera que a interdisciplinaridade faz parte da tradição da escrita da história. Grandes mestres da história incorporaram conceitos e metodologias oriundos de outras disciplinas, o que ensejou a formação de novos campos historiográficos. Neste sentido, o Comitê entende que:

a. serão bem-vindas propostas multi e interdisciplinares que incorporem conhecimentos de diferentes disciplinas, mas que tenham como base a análise de fenômenos no tempo, seja este sincrônico ou diacrônico, isto é, com abordagem historiográfica;

b. em relação à produção científica e/ou tecnológica divulgada em veículos de outras áreas, para estas serão consideradas as avaliações dos Qualis das respectivas áreas, quando o projeto e o perfil acadêmico do proponente, embora interdisciplinar, apresente interface com a abordagem historiográfica.