COBRG | BI - Biotecnologia

Ciências da Vida

Critérios de Julgamento - CA-BIOTECNOLOGIA

Vigência: 2018 a 2020

1. Considerações iniciais

O Comitê Assessor de Biotecnologia - CA-BI foi estruturado com objetivo precípuo de

promover o desenvolvimento e a inovação nas diferentes áreas da biotecnologia. A

missão do CA-BI é estabelecer critérios de avaliação que possibilitem identificar e

promover pesquisadores envolvidos em projetos que busquem, por meio da realização de

pesquisa e inovação, o desenvolvimento de produtos e/ou processos biotecnológicos com

potencial de serem transferidos ao setor produtivo, e assim contribuam para a melhoria

da qualidade socioeconômica da população brasileira, bem como, reduza a dependência

tecnológica do País nessa importante área do conhecimento.

Nas chamadas do CA-BI para bolsas PQ, projetos de pesquisadores detentores de

patentes de processos e produtos biotecnológicos (de preferência transferidos ao setor

produtivos) serão fortemente valorizados em sua pontuação final.

O comitê CA-BI entende também que o desenvolvimento de produtos e/ou processos

biotecnológicos deve estar sempre vinculado a uma produção científica de alto nível.

Desta forma, o índice de impacto das publicações, o Índice H, número de citações na Base

Scopus do proponente serão igualmente muito valorizados, assim como a expertise na

formação de doutores em biotecnlogia para atender as demandas nacionais de nucleação

de pesquisadores na área.

2. Normas gerais

a) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao

quinquênio anterior no caso do Nível 2 e do decênio anterior no caso dos Níveis 1A a D.

b) Os critérios incluem sua produção tecnológica (patentes de processos e produtos),

produção científica e formação de recursos humanos.

c) A avaliação enfatiza a qualidade da produção científica e tecnológica de acordo com

critérios internacionais.

d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a

finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq.

3. Requisitos mínimos para os diferentes Níveis

3.1. Requisitos mínimos para acesso ao Nível 2:

Este nível é a porta de entrada convencional para obtenção de Bolsa PQ. Para ser

classificado neste nível, o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos

no quinquênio anterior:

a) ter publicado pelo menos dez (10) artigos em periódicos científicos direta ou

indiretamente relacionados à biotecnologia, com fator de impacto igual ou superior a 1,0.

 

b) ter concluído a orientação de pelo menos dois (2) Mestres ou um (1) Doutor como

orientador principal ou co-orientação de pelo menos três (3) Mestres ou dois (2)

Doutores.

c) estar desempenhando atividades de pesquisa e de orientação de mestrandos ou

doutorandos nas diferentes áreas da biotecnologia, principalmente em programas de pósgraduação

em biotecnologia reconhecidos pela CAPES.

d) apresentar projeto de pesquisa de mérito científico relacionado a desenvolvimento de

produto ou processo biotecnológico, que seja caracterizado como projeto ligado

diretamente à biotecnologia, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos

consultores ad hoc.

e) apresentar índice H maior ou igual a nove (9) (considerando toda a vida acadêmica) e

pelo menos duzentas e cinquenta (250) citações.

f) ter depositado pelo menos um (1) pedido de patente em agência nacional ou

internacional vinculado à(s) área(s) da biotecnologia. O(s) comprovante(s) de depósito de

patente(s) deverá(ão) obrigatoriamente ser incluído(s) no corpo do projeto. Observação:

caso as cotas disponíveis não sejam preenchidas, candidatos que não atendam a este item

poderão ser contemplados.

3.2. Critérios de acesso ao Nível 1D:

Para ser classificado neste nível, o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos

mínimos no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos vinte (20) artigos em periódicos científicos direta ou

indiretamente relacionados à biotecnologia com fator de impacto igual ou superior a 1,0.

b) ter concluído a orientação de pelo menos cinco (5) pós-graduandos, sendo no mínimo

dois (2) doutores.

c) estar desempenhando atividades de pesquisa e de orientação de mestrandos ou

doutorandos nas diferentes áreas da biotecnologia, principalmente em programas de pósgraduação

em biotecnologia reconhecidos pela CAPES;

d) apresentar projeto de pesquisa de mérito científico relacionado a desenvolvimento de

produto ou processo biotecnológico, que seja caracterizado como projeto ligado

diretamente à biotecnologia, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos

consultores ad hoc.

e) apresentar índice H maior ou igual a treze (13) (considerando toda a vida acadêmica) e

pelo menos quinhentas (500) citações.

f) ter depositado pelo menos dois (2) pedidos de patentes em agência nacional ou

internacional ou ter pelo menos uma (1) patente concedida ou transferida para o setor

produtivo/empresarial, vinculados à(s) área(s) da biotecnologia. Os comprovantes de

depósito de patentes e o(s) comprovante(s) de transferência (fornecido pelo Núcleo de

Inovação Tecnológica-NIT ou pela empresa) deverão obrigatoriamente ser incluídos no

corpo do projeto.

 

3.3. Critérios para acesso ao Nível 1C:

Para ser classificado neste nível, o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos

mínimos no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos vinte e cinco (25) artigos em periódicos científicos direta ou

indiretamente relacionados à biotecnologia com fator de impacto igual ou superior a 1,0,.

b) ter concluído a orientação de pelo menos seis (6) pós-graduandos, sendo no mínimo

três (3) doutores.

c) estar desempenhando atividades de pesquisa e de orientação de mestrandos ou

doutorandos nas diferentes áreas da Biotecnologia, principalmente em programas de pósgraduação

em biotecnologia reconhecidos pela CAPES;

d) apresentar projeto de pesquisa de mérito científico relacionado a desenvolvimento de

produto ou processo biotecnológico, que seja caracterizado como projeto ligado

diretamente à biotecnologia, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos

consultores ad hoc.

e) apresentar índice H maior ou igual a quinze (15) (considerando toda a vida acadêmica)

e pelo menos seiscentas (600) citações.

f) ter depositado pelo menos três (3) pedidos de patentes em agência nacional ou

internacional ou ter pelo menos uma (1) patente concedida ou transferida para o setor

produtivo/empresarial, vinculado(s) à(s) área(s) da biotecnologia. Os comprovantes de

depósito de patentes e o(s) comprovante(s) de transferência (fornecido pelo Núcleo de

Inovação Tecnológica-NIT ou pela empresa) deverão obrigatoriamente ser incluídos no

corpo do projeto.

3.4. Critérios para acesso ao Nível 1B:

Para ser classificado neste nível, o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos

mínimos, no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos trinta (30) artigos em periódicos científicos direta ou

indiretamente relacionadas à biotecnologia com fator de impacto igual ou superior a 1,0.

b) ter concluído a orientação de pelo menos sete (7) pós-graduandos, sendo no mínimo

quatro (4) doutores.

c) estar desempenhando atividades de pesquisa e de orientação de mestrandos ou

doutorandos nas diferentes áreas da Biotecnologia, principalmente em programas de pósgraduação

em biotecnologia reconhecidos pela CAPES;

d) apresentar projeto de pesquisa de mérito científico relacionado a desenvolvimento de

produto ou processo biotecnológico, que seja caracterizado como projeto ligado

diretamente à biotecnologia, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos

consultores ad hoc.

e) apresentar índice H maior ou igual a dezoito (18) (considerando toda a vida acadêmica)

e pelo menos novecentas (900) citações.

f) ter depositado pelo menos quatro (4) pedidos de patentes em agência nacional ou

internacional ou ter pelo menos uma (1) patente concedida ou transferida para o setor

produtivo/empresarial, vinculado(s) à(s) área(s) da biotecnologia. Os comprovantes de

depósito de patentes e o(s) comprovante(s) de transferência (fornecido pelo Núcleo de

 

Inovação Tecnológica-NIT ou pela empresa) deverão obrigatoriamente ser incluídos no

corpo do projeto.

g) inserção do mesmo em nível nacional e internacional considerando, além dos critérios

relacionados nos itens de ¿a¿ - ¿f¿, participação como conferencista em encontros

científicos nacionais e internacionais, participação em corpo editorial de revistas

científicas, coordenar projetos científicos e/ou tecnológicos nacionais de médio e/ou

grande porte, coordenar ou participar de projetos científicos e/ou tecnológicos

internacionais, além de apresentar nucleação de grupos de pesquisa.

3.5. Critérios para acesso ao Nível 1A:

Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos

mínimos, no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos trinta e cinco (35) artigos em periódicos científicos direta ou

indiretamente relacionados à biotecnologia com fator de impacto igual ou superior a 1,0.

b) ter concluído a orientação de pelo menos oito (8) pós-graduandos, sendo no mínimo

cinco (5) doutores.

c) estar desempenhando atividades de pesquisa e de orientação de mestrandos ou

doutorandos nas diferentes áreas da Biotecnologia, principalmente em programas de pósgraduação

em biotecnologia reconhecidos pela CAPES;

d) apresentar projeto de pesquisa de mérito científico relacionado a desenvolvimento de

produto ou processo biotecnológico, que seja caracterizado como projeto ligado

diretamente a biotecnologia, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos

consultores ad hoc.

e) apresentar índice H maior ou igual a vinte e dois (22) (considerando toda a vida

acadêmica) e pelo menos mil e seiscentas (1600) citações.

f) ter depositado pelo menos cinco (5) pedidos de patentes em agência nacional ou

internacional ou ter pelo menos uma (1) patente concedida ou transferida para o setor

produtivo/empresarial, vinculado(s) à(s) área(s) da biotecnologia. Os comprovantes de

depósito de patentes e o(s) comprovante(s) de transferência (fornecido pelo Núcleo de

Inovação Tecnológica-NIT ou pela empresa) deverão obrigatoriamente ser incluídos no

corpo do projeto.

g) inserção do mesmo em nível nacional e internacional considerando, além dos critérios

relacionados nos itens de ¿a¿ - ¿f¿, participação como conferencista em encontros

científicos nacionais e internacionais, participação em corpo editorial de revistas

científicas, coordenar projetos científicos e/ou tecnológicos nacionais de médio e/ou

grande porte, coordenar ou participar de projetos científicos e/ou tecnológicos

internacionais, além de apresentar nucleação de grupos de pesquisa.

4. Comparações entre os pares da demanda

Considerando a comparação entre os pares em cada julgamento, o atendimento aos

critérios mínimos não garante a concessão de bolsas ou classificação automática em

qualquer nível de bolsa. Serão utilizados como parâmetros de classificação para todas as

Categorias/Níveis, os seguintes critérios:

 

¿ Produção Científica: serão considerados para pontuação apenas os periódicos

científicos de fator de impacto igual ou superior a 0,5.

¿ Produção Tecnológica: Registros de Patentes e eventual concessão ou

transferência de tecnologia na área de pesquisa do candidato à bolsa.

¿ Formação de recursos humanos: Teses de Doutorado e dissertações orientadas e

aprovadas. Orientações de alunos de iniciação científica e supervisões de pósdoutores.

¿ Índice H: definido como o número ¿h¿ de trabalhos que tem pelo menos o número

¿h¿ de citações cada. Para cada proponente será levantado o índice H na base de

dados SCOPUS do CNPq. Para o cálculo da produção científica será considerada a

produção bibliográfica (artigos completos) multiplicada pelo valor do índice de H.

¿ Projeto: Qualificação do projeto de pesquisa apresentado na solicitação da bolsa

PQ, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc.

5. Critérios de desempate

Serão utilizados como parâmetros de classificação e desempate para todas as

Categorias/Níveis, os seguintes critérios:

1. Patentes concedidas ou transferidas para o setor produtivo.

2. Número de patentes depositadas.

3. Índice H.

4. Número de citações na base SCOPUS.

5. Somatório de fator de impacto dos artigos publicados.

6. Número de doutores formados.

7. Número de mestres formados.

8. Editoração de revista científica.

6. Observação importante para encaminhamento das propostas

O CA-BI utilizará informações preenchidas no resumo da proposta para melhor avaliação

da solicitação. Além da descrição relativa ao projeto de pesquisa, o resumo deverá conter

as seguintes informações: justificativa do enquadramento da proposta na área de

biotecnologia de acordo com os critérios supracitados, incluindo número de processos e

produtos patenteados, número de artigos publicados em periódicos com fator de impacto

mínimo de 1,0 nos últimos 5 anos para candidatos a nível 2 e 10 anos para candidatos a

nível 1, índice H e número de citações (Base SCOPUS) considerando toda a vida científica

do solicitante, bem como número de orientações concluídas nos últimos 5 anos para

candidatos a nível 2 e 10 anos para candidatos a nível 1.

IMPORTANTE: Incluir documentos comprobatórios do depósito, concessão e/ou

licenciamento de patente no corpo da proposta anexada. O proponente deve indicar junto

a proposta, suas mais relevantes patentes e artigos científicos (até cinco), ambos de base

biotecnológica, que possam estar vinculados ao projeto proposto, podendo assim auxiliar

na avaliação da concessão da bolsa de produtividade em pesquisa e do nível da

concessão.


 

7. Reconhecimento de Notória Liderança Científica

Em casos excepcionais, parte dos requisitos mínimos acima poderá ser dispensada e

critérios adicionais de comparação entre pares poderão ser utilizados para candidatos que

possuem liderança científica amplamente reconhecida pela sua obra. Essa qualidade leva

em consideração o fazer escola de pensamento científico, a disseminação nacional e

internacional de uma área de investigação e a criação de instituições científicas ou

tecnológicas de excelência. Na caracterização desta excepcionalidade serão considerados

os seguintes critérios:

a) Produção científica da carreira;

b) Impacto da produção científica ou tecnológica, utilizando-se critérios qualitativos e

quantitativos;

c) Contingente de recursos humanos formados em nível de Pós-Graduação (Mestres

e Doutores);

d) Destino dos recursos humanos formados e sua contribuição científica;

e) Nucleação de grupos de pesquisa;

f) Atividades de gestão científica e tecnológica e de administração de sociedades

científicas, instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.

A concessão de excepcionalidade neste caso deverá obrigatoriamente ser apoiada por

pelo menos dois terços (2/3) dos membros do CA.

Para os cálculos de indicadores quantitativos serão utilizados os bancos de dados da

Plataforma Lattes do CNPq, da Base SCOPUS e da Thomson ISI Web of Science.

As diferentes abreviaturas do nome de determinado pesquisador deverão ser

conhecidas pelo CA e pelos técnicos do CNPq para evitar subestimar os parâmetros

relacionados, preferencialmente através do cadastro no ORCID (Open Researcher and

Contributor ID).