COSAE | SA - Arquitetura, Demografia, Geografia, Turismo e Planejamento Urbano e Regional

Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

Critérios de Julgamento - CA-SA

Vigência: 2018 a 2020

Considerando que o objetivo da Bolsa de Produtividade em Pesquisa é distinguir o pesquisador, valorizando sua produção científica segundo critérios normativos estabelecidos pelo CNPq e pelos seus respectivos Comitês de Assessoramento (CAs), o CA-SA estabelece que as propostas serão analisadas levando-se em conta a sua fundamentação teórico-metodológica, sua originalidade, relevância e exequibilidade. Estabelece ainda como multi e interdisciplinares as propostas que, de uma mesma subárea ou de áreas diferentes, bem como entre saberes disciplinares, contemplem fenômenos que se colocam nas fronteiras disciplinares e, por isso, exigem uma abordagem teórico-metodológica inovadora que se posicione como interface não só entre disciplinas próximas, mas também no referente ao conhecimento não disciplinar.

Os critérios da área de Ciências Sociais Aplicadas foram estabelecidos com o objetivo de subsidiar a avaliação das solicitações de bolsas de produtividade em pesquisa (PQ) no período em epígrafe.

A classificação dos pesquisadores que tiverem seus projetos aprovados será feita de acordo com os seguintes critérios, considerados em conjunto, conforme itens 3 e 4 da Resolução Normativa-028/2015, Anexo III.

a) mérito científico do projeto;

b) relevância, originalidade e repercussão da produção científica do candidato;

c) formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação;

d) contribuição científica, tecnológica e de inovação, incluindo patentes;

e) coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa;

f) inserção internacional do proponente;

g) participação como editor científico;

h) participação em atividades de gestão acadêmica e/ou científica.

Quando forem pertinentes, deverão ser considerados:

a) foco nos grandes problemas nacionais;

b) abordagens inter, multi e transdisciplinares;

c) trabalhos técnicos e de extensão;

d) comunicação com a sociedade;

e) interação com o parque produtivo e

f) conservação ambiental.

A distinção entre categorias e níveis é de natureza qualitativa.

A categoria 2 é destinada à entrada do pesquisador no sistema de Bolsas de Produtividade em Pesquisa do CNPq, devendo ter transcorrido no mínimo 3 (três) anos, da defesa do doutorado por ocasião da implementação da bolsa. O pesquisador também deverá atender as seguintes exigências de produção científica e formação de recursos humanos nos últimos 5 (cinco) anos:

- dispor de 5 (cinco) publicações, considerando-se exclusivamente, artigos completos em periódicos especializados, capítulos de livros, organização de livros ou livros autorais;

- dispor de 2 (duas) orientações de mestrado concluídas no país, no mínimo.

O pesquisador 2 será avaliado pela produção dos últimos 5 anos informada em seu CV Lattes.

 

A categoria 1 é destinada aos pesquisadores, que cumpram os seguintes requisitos:

- ter 8 (oito) anos, no mínimo, de doutorado por ocasião da implementação da bolsa;

- demonstrar, nos últimos 10 (dez) anos, capacidade de formação contínua de recursos humanos;

- ter 10 (dez) publicações, considerando-se exclusivamente, artigos completos em periódicos especializados, capítulos de livros, organização de livros ou livros autorais.

O pesquisador 1 será avaliado pela produção dos últimos 10 anos cadastrada no CV Lattes.

O pesquisador categoria 1 pode ser enquadrado em quatro diferentes níveis (A, B, C ou D), com base comparativa entre os seus pares. A diferenciação entre os níveis A, B, C e D é baseada nos critérios específicos do CA-SA, privilegiando a qualidade e o conjunto da obra do pesquisador.

Espera-se ainda que os pesquisadores categoria 1 tenham gradual inserção nacional e internacional, por meio de palestras e assessorias ad hoc a revistas nacionais e internacionais e a órgãos de financiamento à pesquisa, bem como envolvimento em atividades de gestão científica, incluindo a organização de eventos, participação em comitês assessores estaduais ou nacionais, sociedades científicas, revistas científicas, assessoria a órgãos de governo estaduais ou nacionais, e conferências proferidas a convite e/ou em plenárias de congressos.

Para os níveis C e B, além de uma crescente contribuição à formação de recursos humanos e à produção de ciência e tecnologia, em relação à exigida para a entrada na categoria 1D, será avaliada também a contribuição na organização de grupos de pesquisa e programas de graduação e pós-graduação de sua instituição.

Dos pesquisadores nível B espera-se que participem de forma significativa em atividades de pesquisa em suas instituições em órgãos de fomento à pesquisa.

O nível A é reservado a candidatos que tenham mostrado excelência continuada na produção científica e na formação de recursos humanos, e que liderem grupos de pesquisa consolidados. O perfil deste nível de pesquisador deve, na maior parte dos casos, extrapolar os aspectos unicamente de produtividade para incluir aspectos adicionais que mostrem uma significativa liderança dentro da sua área de pesquisa no Brasil e capacidade de explorar novas fronteiras cientificas.

Os pedidos de bolsa serão analisados comparativamente, obedecendo-se os parâmetros abaixo elencados, para a atribuição de nota de avaliação:

Projeto de pesquisa

20%

Produção científica

50%

Formação de recursos humanos principalmente em nível de pós-graduação

15%

Contribuição científica, tecnológica e para a inovação; Coordenação ou participação em projetos de pesquisa; Participação em atividades editoriais, de gestão científica, administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica; Liderança e reconhecimento institucional.

 

15%

 

 

Projeto de pesquisa - 20%

Apresentar projeto de pesquisa de qualidade, com relevância temática, sólida fundamentação teórico-metodológica e bibliografia atualizada; conforme avaliação feita por consultores ad hoc e referendada pelos assessores das áreas.

Produção científica - 50%

a) avaliação qualificada da produção científica, técnica, didática e artística; distinguindo a produção individual e qualificando as co-autorias;

b) valorização da produção que passa por processo de avaliação editorial e/ou de pares;

c) avaliação da repercussão da produção intelectual dentro da área e em áreas afins; publicação livros e/ou capítulos de livros;

d) publicação de artigos de qualidade em periódicos de relevância para a área, nacionais e internacionais (para a categoria 1), se possível com adoção de critérios Qualis/CAPES;

e) publicação de trabalhos completos em Anais de eventos científicos de relevância reconhecida para a Área que tenham passado por rigoroso processo de seleção;

f) participação em mesas redondas, realização de palestras e conferências em eventos nacionais e internacionais (para a categoria 1);

g) participação em eventos nacionais e internacionais (apresentação de trabalho, comissões organizadoras, comitês de seleção de trabalhos, palestras e mesas redondas, entre outra atividade).

Formação de recursos humanos principalmente em nível de pós-graduação - 15%

a) orientação de mestres e/ou doutores, iniciação científica e supervisão de estágio de pós-doutorado;

b) atuação em programas de pós-graduação ou instituições de pesquisa reconhecidas e consolidadas;

c) atuação no fortalecimento de instituições emergentes;

d) responsabilidade na formação de pesquisadores em vários níveis.

Contribuição científica, tecnológica e para a inovação ¿ 15%

a) desenvolvimento de atividades, práticas e metodologias relevantes e inovadoras nos campos social, tecnológico, instrumental, acadêmico, entre outros;

b) qualidade científica, tecnológica e o caráter inovador da produção científica e do projeto de pesquisa;

c) coordenação ou participação em projetos de pesquisa: comprovação de atividade continuada de pesquisa; coordenação projetos de pesquisa com resultados divulgados como produção científica; atuação no fortalecimento da pesquisa em centros regionais;

d) participação em atividades editoriais, de gestão científica, administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica: participação de atividades de organização, de comitês de seleção de trabalhos ou de outras atividades conexas em eventos nacionais e internacionais; coordenação e/ou direção de instituições acadêmicas e de pesquisa; experiência como editor e em comissões editoriais de periódicos, editoras e publicações relevantes para a área; participação em órgãos de representação e assessoria/consultoria científica.

e) participação em funções acadêmicas e de pesquisa de interesse coletivo: direção, representação institucional e/ou coordenação exercida em instituições acadêmicas, associações científicas e órgãos de fomento à pesquisa, atuação como parecerista ad hoc;

e) liderança e reconhecimento institucional com efetiva inserção nacional e internacional (principalmente para a categoria 1): participação em bancas examinadoras de dissertações e teses; bancas de concurso público; participação em comitês científicos de periódicos; organização e coordenação de congressos nacionais e internacionais; organização e coordenação de convênios nacionais e internacionais e intercâmbio de pesquisadores; criação e coordenação de linhas e grupos de pesquisa e/ou grupos de trabalho de associações científicas.