COCQG | GC - Geociências

Ciências Exatas e da Terra e Engenharias

 

Critérios de Julgamento do CA-GC para Bolsas de Produtividade em Pesquisa (PQ)

Vigência: 2018 a 2020

 

Critérios Gerais

O Comitê Assessor de Geociências (CA-GC) avalia solicitações das subáreas de Geologia, Geofísica e Geodésia, conforme os critérios abaixo explicitados:

a) O enquadramento do pesquisador na categoria 1 exige que o solicitante tenha, no mínimo, 6 (seis) anos de doutorado por ocasião da implementação da bolsa. O enquadramento do pesquisador na categoria 2 exige que o solicitante tenha, no mínimo, 3 (três) anos de doutorado por ocasião da implementação da bolsa.

b) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso da categoria 2, e do decênio anterior, no caso da categoria 1.

c) Os indicadores incluem sua produção científica, formação de recursos humanos, contribuição para a inovação, coordenação e participação em projetos de pesquisa, participação em atividades editoriais e de gestão científica, e participação em administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.

d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios aqui explicitados com a finalidade exclusiva de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq.

Casos omissos e exceções em relação aos critérios aqui estabelecidos serão julgados pelo CA-GC.

 

Critérios Específicos

No julgamento e classificação dos solicitantes de Bolsa de Produtividade em Pesquisa (PQ) das subáreas de Geologia, Geofísica e Geodésia, serão considerados: produção científica, formação de recursos humanos, inserção e liderança na área de conhecimento e projeto de pesquisa.

Os candidatos serão priorizados segundo:

a) análise comparativa da produção científica, formação de recursos humanos, inserção e liderança e projeto de pesquisa durante os últimos 5 (cinco) anos para o nível PQ-2, e os últimos 10 (dez) anos para o nível PQ-1 (A a D).

b) pareceres de consultores ad hoc, providenciados pelo CNPq;

c) para a classificação final também poderá ser considerado o histórico do pesquisador.

Considera-se como produção científica: artigos publicados em periódicos indexados nacionais e internacionais, livros, capítulos de livros, e editoração de periódicos e de livros.

A qualidade da produção científica do pesquisador será avaliada tendo-se como critérios: índices de impacto das revistas, números de citações, índices de impacto da produção do pesquisador e, como referência complementar, a classificação Qualis-CAPES.

 

1. Perfil para classificação como bolsista PQ-2

O solicitante deverá:

a) apresentar projeto de pesquisa de sua autoria;

b) demonstrar independência científica, a qual será aferida pela existência no currículo do solicitante de, pelo menos, uma produção bibliográfica como primeiro autor ou como segundo autor desde que o primeiro autor tenha sido seu orientando de mestrado ou doutorado (considera-se produção bibliográfica: artigo publicado em periódico indexado, livro ou capítulo de livro);

c) ter orientado estudante de iniciação científica, ou mestrado ou doutorado, ou estar orientando estudante de mestrado e/ou doutorado.

 

2. Perfil para classificação como bolsista PQ-1

O solicitante deverá ter:

a) concluído a orientação de, pelo menos, um doutorado;

b) qualidade e regularidade da produção científica, número de citações, editoria, atuação como assessor ou consultor ad hoc junto a órgãos de fomento, arbitragens para revistas indexadas, realização de atividades científicas (palestras, seminários, cursos, excursões de campo) como convidado(a), e participação em comitês de organização de eventos científicos e em bancas de concursos e de pós-graduação;

c) capacidade para a captação de recursos e atuação institucional para instalação, ampliação e manutenção de infraestrutura de pesquisa e pós-graduação, com impactos positivos para o desenvolvimento científico nacional e internacional.

Para classificação dos solicitantes nos diversos níveis das bolsas PQ-1 (D, C, B, A) serão observados os seguintes aspectos:

Nível 1D: Pesquisador que alcançou independência científica e que demonstre a capacidade de formação de mestres e doutores;

Nível 1C: Reservado a pesquisadores experientes e que tenham demonstrado a capacidade de formação de doutores e significativa produção científica;

Nível 1B: Reservado a pesquisadores com larga experiência científica, liderança nacional em sua área de atuação e que tenham reconhecimento internacional. Devem apresentar produção científica original, com publicações de excelente qualidade em bons periódicos científicos e orientação de mestres e doutores; atuação ativa em programas de pós-graduação em sua instituição, e coordenação de projetos científicos de longo prazo;

Nível 1A: Reservado a pesquisadores que, além dos atributos listados para o nível 1B, demonstrem capacidade de liderança científica tanto na sua instituição como nos planos nacional e internacional, e que tenham dado contribuição significativa para o desenvolvimento das Geociências no País. Sua carreira deve demonstrar atividade científica contínua, em nível de excelência, pelo menos nos últimos 15 (quinze) anos, tendo contribuído para formação de novos pesquisadores.