COAGR | RF - Recursos Florestais

Ciências da Vida

CRITÉRIOS DE JULGAMENTO BOLSAS PQ - CA-RF
Vigência: 2018 a 2020
1. Normas gerais

O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso do nível 2, e do decênio anterior no caso dos níveis 1D a 1A.
Os critérios incluem os seguintes quesitos, sendo que a pontuação de cada item que contribui para o cálculo é detalhada na planilha de avaliação ao final deste documento:
1) Produção Científica e Inovação Tecnológica. PESO 70%: trabalhos publicados e os respectivos fatores de impacto das revistas, livros, capítulos de livros, editoria de periódicos, patentes, desenvolvimento de produtos. No caso de bolsa PQ, somente serão consideradas as publicações ou produção em geral relacionadas com as subáreas da área de conhecimento "Recursos Florestais e Engenharia Florestal - 5.02.00.00-3".
2) Formação de Recursos Humanos. PESO 20%: supervisão de pós-doutorados, dissertação e teses orientadas e defendidas, orientações em andamento. Serão consideradas apenas as orientações relacionadas com as subáreas da área de conhecimento "Recursos Florestais e Engenharia Florestal - 5.02.00.00-3".
3) Avaliação do Projeto de Pesquisa. PESO 10%: O projeto será pontuado pelos critérios especificados no sistema no formulário online de avaliação adhoc. O projeto deverá estar relacionado com as subáreas da área de conhecimento "Recursos Florestais e Engenharia Florestal - 5.02.00.00-3".
4) Índice H informado exclusivamente por meio do ResearcherID. Este critério de avaliação visa estimular e valorizar a produção científica qualificada de impacto, tendo em vista que esta métrica expressa a penetração efetiva do pesquisador no cenário científico mundial por meio da citação continuada de suas publicações. O índice H somente será considerado para pontuação se for informado através do ResearcherID, que evita ambiguidade e erro de identificação na autoria de artigos. O índice H deverá ser carregado automaticamente via o código ResearcherID do pesquisador no seu CV Lattes de forma que o CA possa verificar o índice H acessando diretamente pelo ícone . A pontuação referente ao Índice H será calculada pela expressão (Índice H multiplicado por 10) e atuará com uma pontuação adicional aos critérios anteriores e será somada à pontuação ponderada final obtida pelos três critérios (1, 2 e 3) acima.
Os critérios de avaliação acima detalhados enfatizam a qualidade da produção científica e tecnológica de acordo com o fator de impacto da revista nas base de dados ISI (Web of Knowledge - JCR) ou, na ausência deste, na base de dados Scimago Journal and Country Rank (SJR). Além disso, visam ainda incluir o impacto do pesquisador na comunidade científica internacional visando assim estimular e principalmente, valorizar a produção científica de artigos em veículos de maior circulação e impacto e não apenas a quantidade de artigos publicados.
2. Requisitos mínimos para acesso ou progressão aos diferentes Níveis de bolsa PQ
O acesso para o sistema de bolsas PQ se dará sempre para o nível de bolsista PQ-2 e será realizado de forma comparativa entre os pares no certame com base na pontuação obtida na planilha de avaliação detalhada ao final deste documento. Para o acesso ao sistema por meio da bolsa PQ-2 o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no quinquênio anterior:
a) ter publicado pelo menos 5 (cinco) artigos científicos em periódicos com corpo editorial, de preferência como autor principal ou correspondente, em periódicos indexados no Webqualis CAPES com fator de impacto JCR  0,25 ou, na ausência deste, SJR  0,25.
b) ter concluído a orientação de pelo menos 1 (um) Doutor ou 2 (dois) Mestres;
c) estar em atividade de pesquisa e de orientação de Mestrandos ou Doutorandos;
d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores "ad hoc", e
2.1. Critérios para acesso ao nível 1D
A progressão para o nível de bolsista 1 será realizada de forma comparativa entre os pares no certame com base na pontuação obtida na planilha de avaliação detalhada ao final deste documento. Para ser classificado nestes níveis o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior:
a) Ter permanecido no nível PQ-2 por pelo menos 4 anos ininterruptos
b) ter publicado pelo menos 10 (dez) artigos científicos em periódicos com corpo editorial, de preferência como autor principal ou correspondente, em periódicos indexados no Webqualis CAPES com fator de impacto JCR  0,25 ou, na ausência deste, SJR  0,25.
c) ter concluído a orientação de pelo menos 2 (dois) Doutores;
d) ter concluído no mínimo 8 (oito) orientações de mestres ou doutores;
e) estar em atividade de pesquisa e de orientação de pelo menos 1 doutorando e 1 mestrando ou 2 mestrandos;
f) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores "ad hoc"; e
g) haver disponibilidade de bolsas novas ou liberadas nesta categoria.
2.2. Critérios para progressão os níveis 1C, 1B e 1A:
A progressão para os demais níveis de bolsista 1 será realizada de forma comparativa entre os pares no certame com base na pontuação obtida na planilha de avaliação anexa a este documento. Para ser
classificado nestes níveis o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior:
a) para os níveis 1C e 1B ter publicado pelo menos 20 (vinte) artigos científicos em periódicos com corpo editorial, de preferência como autor principal ou correspondente, em periódicos indexados no Webqualis CAPES com fator de impacto JCR  0,25 ou, na ausência deste, SJR  0,25.
b) Para o nível 1A ter permanecido na categoria 1B por pelo menos 8 (oito) anos, ter publicado pelo menos 25 (vinte cinco) artigos científicos em periódicos com corpo editorial, de preferência como autor principal ou correspondente, em periódicos indexados no Webqualis CAPES com fator de impacto JCR 0,25 ou, na ausência deste, SJR  0,25 sendo que pelo menos 5 (cinco) deles com fator de impacto JCR ou SJR  1,0.
c) Para o nível 1A ter atingido um Índice H maior ou igual a 10 (dez).
d) Ter concluído no mínimo 8 (oito) orientações em cursos "stricto sensu", das quais no mínimo quatro em nível de Doutorado. Na impossibilidade, devidamente justificada, de orientação de pós-graduação na própria instituição ou em instituições próximas ou associadas, este critério poderá ser substituído pela coordenação de pelo menos cinco projetos de pesquisa que tenham recebido apoio financeiro de forma competitiva de agências de fomento à pesquisa (internacional/nacional/estadual);
e) estar em atividade de pesquisa e de orientação de pelo menos 1 (um) doutorando e 1 (um) mestrando e/ou estar coordenando pelo menos dois projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de forma competitiva de órgão de fomento (internacional/ nacional/estadual) à pesquisa;
f) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores "ad hoc";
h) haver disponibilidade de bolsas novas ou liberadas nesta categoria.
3. Comparações entre os pares da demanda:
Considerando-se a oferta limitada de bolsas novas e/ou liberadas, as solicitações de bolsas serão classificadas em ordem decrescente de acordo com a pontuação final obtida na planilha de avaliação anexa a este documento. No caso raro de ocorrer empate na pontuação, o desempate para todas as Categorias/Níveis, seguirá os seguintes critérios, na seguinte ordem de prioridade:
a) Somatório dos fatores de impacto dos respectivos periódicos científicos indexados de nível A1 a B5 do Webqualis CAPES nos quais o candidato publicou no quinquênio ou decênio anterior a depender do tipo de demanda de bolsa PQ;
b) Número de teses de Doutorado orientadas e aprovadas;
c) Número de dissertações de Mestrado orientadas e aprovadas;
d) Índice "H.
4. Reconhecimento de Notória Liderança Científica:
Em casos excepcionais, parte dos requisitos mínimos acima poderá ser dispensada e critérios adicionais de comparação entre pares poderão ser utilizados para candidatos que possuem liderança científica amplamente reconhecida pela sua obra. Essa qualidade leva em consideração o fazer escola de pensamento científico, a disseminação nacional e internacional de uma área de investigação e a criação de instituições científicas ou tecnológicas de excelência. Na caracterização desta excepcionalidade serão considerados os seguintes critérios:
a) Produção científica total na carreira envolvendo seja o número de publicações indexadas bem como o somatório dos fatores de impacto dos respectivos periódicos científicos indexados de nível A1 a B5 do Webqualis CAPES nos quais o candidato publicou;
b) Impacto da produção científica ou tecnológica, utilizando-se o índice H informado via ResearcherID como critério qualitativo e quantitativo;
c) Contingente de recursos humanos formados em nível de Pós-Graduação (Mestres e Doutores);
d) Destino dos recursos humanos formados e sua contribuição científica;
e) Nucleação de grupos de pesquisa;
f) Atividades de gestão científica e tecnológica e de administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.
Nota: A concessão de excepcionalidade deverá obrigatoriamente ser apoiada por unanimidade dos membros do CA.