COAGR | EA - Engenharia Agrícola

Ciências da Vida

 COAGR | EA - Engenharia Agrícola

Critérios de Julgamento - Engenharia Agrícola - CA-EA

Vigência: 2018 a 2020

1. Normas gerais

A produtividade do pesquisador é avaliada por indicadores relacionados principalmente com a produção científica, com a formação de recursos humanos e com o mérito do projeto de pesquisa a ser desenvolvido. A contribuição para a inovação na área de ciência e tecnologia, coordenação de projetos de pesquisa científica com financiamento por agências de fomento e a participação em atividades editoriais (revistas científicas e livros) e de gestão científica e acadêmica também são consideradas.

A pontuação da produção científica é feita considerando-se os artigos classificados pelo Qualis-CAPES e a soma do fator de impacto (Journal Citation Report, JCR) das revistas científicas onde foram publicados. Para a pontuação relativa à formação de recursos humanos considera-se o número de orientações concluídas na Iniciação Científica (com bolsa de órgão de fomento) e no Mestrado/Doutorado, para a condição de orientador principal e co-orientador. Avalia-se também o número de supervisões concluídas de Pós-doutorado. Para a pontuação do projeto de pesquisa, são consideradas as avaliações realizadas pelos consultores ad hoc.

Os solicitantes são classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq. Pesquisadores que não possuem bolsa PQ do CNPq em vigência e que tiverem proposta recomendada deverão receber obrigatoriamente bolsa PQ-2. No entanto, aqueles que já possuíram bolsa PQ e que ao serem avaliados obtiverem pontuação compatível para nível 1, poderão ser recomendados para o nível 1D.

2. Requisitos mínimos para os diferentes Níveis

São requisitos mínimos gerais:

a) ter atuação destacada em Engenharia Agrícola;

b) estar desenvolvendo atividade de pesquisa e orientação;

c) ter linha de pesquisa definida e compatível com a área de Engenharia Agrícola e apresentar projeto de pesquisa com mérito científico, com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

d) atingir pontuação compatível com a cota de bolsas disponíveis em cada Nível; e

e) haver disponibilidade de bolsas.

2.1. Critérios de acesso ao Nível 2

Este é o Nível inicial de todo candidato à bolsa PQ, que deve satisfazer os seguintes requisitos mínimos avaliados no quinquênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 10 (dez) artigos científicos em periódicos classificados pelo Qualis/CAPES, nos níveis A1, A2, B1 e B2;

b) ter orientação concluída de pelo menos 1 (um) Mestre. Este critério poderá, excepcionalmente, ser substituído pela conclusão da coordenação de pelo menos 1 (um) projeto de pesquisa que tenha recebido financiamento de órgãos de fomento;

2.2. Critérios de acesso ao Nível 1D

Para ser classificado neste Nível o pesquisador deve ser ou já ter sido bolsista PQ-2 e satisfazer os seguintes requisitos mínimos avaliados no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 30 (vinte) artigos científicos em periódicos classificados pelo Qualis/CAPES, nos níveis A1, A2, B1 e B2, ou apresentar soma do JCR igual ou superior a 15 (quinze);

b) ter orientação concluída de pelo menos 3 (três) Doutores ou 6 (seis) Mestres. Este critério poderá, excepcionalmente, ser substituído pela conclusão da coordenação de pelo menos 4 (quatro) projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de órgãos de fomento.

2.3. Critérios de acesso ao Nível 1C

Para ser classificado neste Nível o pesquisador deve ser bolsista PQ-1D e satisfazer os seguintes requisitos mínimos avaliados no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 35 (vinte e cinco) artigos científicos em periódicos classificados pelo Qualis/CAPES, nos níveis A1, A2, B1 e B2, sendo no mínimo 4 (dois) artigos em A1 e/ou A2, ou apresentar soma do JCR igual ou superior a 20 (vinte);

b) ter orientação concluída de pelo menos 4 (quatro) Doutores ou 8 (oito) Mestres. Este critério poderá, excepcionalmente, ser substituído pela conclusão da coordenação de pelo menos 6 (seis) projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de órgãos de fomento.

2.4. Critérios de acesso ao Nível 1B

Para ser classificado neste Nível o pesquisador deverá ser bolsista PQ-1C e satisfazer os seguintes requisitos mínimos avaliados no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 40 (trinta) artigos científicos em periódicos classificados pelo Qualis/CAPES, nos níveis A1, A2, B1 e B2, sendo no mínimo 5 (três) artigos em A1 e/ou A2, ou apresentar soma do JCR igual ou superior a 25 (vinte e cinco);

b) ter orientação concluída de pelo menos 5 (cinco) Doutores ou 10 (dez) Mestres. Este critério poderá, excepcionalmente, ser substituído pela conclusão da coordenação de pelo menos 8 (oito) projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de órgãos de fomento.

2.5. Critérios de acesso ao Nível 1A

Para ser classificado neste Nível o pesquisador deverá ter sido bolsista PQ-1B e satisfazer os seguintes requisitos mínimos avaliados no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 45 (trinta e cinco) artigos científicos em periódicos classificados pelo Qualis/CAPES, nos níveis A1, A2, B1 e B2, sendo no mínimo 6 (quatro) artigos em A1 e/ou A2 ou apresentar soma do JCR igual ou superior a 30 (trinta);

b) ter orientação concluída de pelo menos 6 (seis) Doutores ou 12 (doze) Mestres. Este critério poderá, excepcionalmente, ser substituído pela conclusão da coordenação de pelo menos 8 (oito) projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de órgãos de fomento.

3. Critérios gerais para progressão

Por ocasião da recomendação da bolsa para pesquisador que esteja no sistema (com bolsa vigente), o bolsista poderá atingir apenas 1 (um) Nível superior ao atual, dependendo da disponibilidade de bolsa neste Nível (superior ao atual) e da concorrência com seus pares. Excepcionalmente, bolsistas altamente produtivos e com destacada participação na formação de recursos humanos (Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado) poderão ser recomendados para Níveis de bolsa superiores, desde que seja consenso da maioria dos membros do CA-EA presentes no julgamento. Caso tenha demonstrado baixa produtividade em relação aos pares, o bolsista poderá ter seu Nível de bolsa rebaixado, podendo ser em mais de um Nível, ou não ter a bolsa recomendada.

4. Comparações entre os pares da demanda

Considerando-se a oferta limitada de bolsas novas e/ou liberadas serão utilizados como parâmetros de classificação e desempate para todas as Categorias/Níveis, os seguintes critérios, na seguinte ordem de prioridade:

1. Pontuação obtida considerando a produção técnico-científica e inovação tecnológica (com peso de 50%), a formação de Recursos Humanos (com peso de 30%) e a relevância da atuação em C, T & I (com peso de 20%) nos últimos cinco anos para pesquisador Nível 2 e dez anos para o pesquisador Nível 1;

2. Número de artigos em periódicos classificados pelo Qualis/CAPES, nos níveis A1 e A2;

3. Número de teses de Doutorado concluídas, como orientador principal;

4. Número de Dissertações de Mestrado concluídas, como orientador principal;

5. Qualificação do projeto de pesquisa apresentado na solicitação da bolsa PQ, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;